The Short Guide to 2013 (Part II)

Os melhores filmes de 2013, incluindo as estreias comerciais e o circuito dos festivais em Portugal.

[The best movies of 2013, including commercial releases and the festival circuit in Portugal.]

[Parte I / Part I]

  • 10. THE COUNSELOR (Ridley Scott)


  • Na espiral descontrolada do protagonista em direcção ao Inferno, os inebriantes diálogos de Cormac McCarthy colocam-nos num mundo simultaneamente familiar e surreal, onde nem os "bons da fita" são de confiança. Um desafio cinematográfico para muitos anos de análise.


    In this express elevator to Hell of its lead character, the intoxicating words of Cormac McCarthy places us in a world both mundane and surreal, where not even the good guys are trustworthy. A cinematic challenge for many years of analysis.




  • 9. CAMILLE CLAUDEL, 1915 (Bruno Dumont)


  • A desolação segundo o olhar de Juliette Binoche, enquadrado em mais uma das ambíguas — e mais conseguidas da sua carreira — experiências religiosas de Bruno Dumont.


    The devastation by Juliette Binoche's gaze, according to another ubiquitous — and one of the most achieved — religious experience of Bruno Dumont.




  • 8. DJANGO UNCHAINED (Quentin Tarantino)


  • Numa soberba execução alimentada pela cinefilia do seu autor, é a observação mordaz e violenta sobre a memória de um país em constante gládio com os seus fantasmas, sejam eles "bons, maus e vilões".


    In a superb accomplishment, here is a cinephile fueled, sharp and violent observation about the memory of a country in an everlasting struggle with its own ghosts, whether they are 'good, bad or ugly'.




  • 7. TIAN ZHU DING (Jia Zhangke)


  • No seio do milagre económico Chinês e do seu sentimento nacionalista crescente, há explosões de violência a espreitar em todos os cantos. Talvez o filme mais "sociológico" de 2013?


    Amidst the Chinese economic miracle and of its growing social nationalism, there are savages outbursts lurking around the corner. Is this the most "sociological" movie of the year?




  • 6. GRAVITY (Alfonso Cuarón)


  • Só a desesperada respiração de Sandra Bullock almeja contrariar o silencioso vácuo do espaço, num dos filmes tecnicamente mais virtuosos da década, fortalecendo a crença no poder singular do Cinema enquanto arte sensorial.


    Only the desperate breathing of Sandra Bullock can break the silent vacuum of space, in one of the most technically dazzling movies of the decade, which reinforces the believe of Cinema as a unique sensory art form.




  • 5. MUD (Jeff Nichols)


  • Num dos filmes mais "classicista" do ano, as plácidas paisagens do Mississippi são o cenário perfeito para uma história singular sobre amor genuíno, inocência e maturidade, camaradagem e vingança, sacrifício e heroísmo.


    In one of the most 'classicist' movies of the year, the Mississippi's quiet scenery is the perfect setting for this particular story about true love, innocence and maturity, companionship and revenge, sacrifice and heroism.




  • 4. LA FILLE DE NULLE PART (Jean-Claude Brisseau)


  • Uma narrativa subtil, com repentinas erupções de terror e erotismo, sobre a beleza da contenda entre o cepticismo e a fé espiritual da nossa vida.


    A subtle narrative, with sudden outbursts of horror and erotism, about the beautiful struggle between scepticism and the ghostly faith in life.




  • 3. DUPĂ DEALURI (Cristian Mungiu)


  • "O rancor é cruel e a fúria é destruidora, mas quem consegue suportar a inveja?" (Provérbios 27:4). Acima da censura às consequências nefastas do fervor religioso, são as crenças pessoais do espectador que encontrarão maior desafio.


    'Anger is cruel and fury overwhelming, but who can stand before jealousy?' (Proverbs 27:4). Above the condemnation of the evil consequences of religious fervor, the inner beliefs of the viewer are to be greatly defied.




  • 2. THE ACT OF KILLING (Joshua Oppenheimer, Christine Cynn)


  • A visão de uma consciência total de actos de crueldade revela-se um dos momentos mais pungentes e determinantes do Cinema de 2013. E o "truque" é simples: trata-se de pura realidade, exibida por um documentário revolucionário.


    The sighting of the absolute awareness of cruelty becomes one of the most poignant and definitive moments of 2013 in film. The catch? It is all real, in a game-changer documentary.




  • 1. THE MASTER (Paul Thomas Anderson)


  • Em torno da educação do "animal humano" superiormente encarnado por Joaquin Phoenix, subjaz a abrangente metáfora sobre quase tudo aquilo que construiu as sociedades ocidentais modernas no pós-Segunda Guerra Mundial: realização pessoal e social, conservadorismo e libertinagem, fama controversa e pujança económica, fulgor e depressão.


    Around the education of the "animal human" magnificently played by Joaquin Phoenix, lies the embracing metaphor about almost everything that built the modern western societies after WWII: personal and social fulfillment, conservatism and debauchery, controversial fame and economic strength, vitality and depression.



1 comentários:

The Short Guide to 2013 (Part I)

Os melhores filmes de 2013, incluindo as estreias comerciais e o circuito dos festivais em Portugal.

[The best movies of 2013, including commercial releases and the festival circuit in Portugal.]

  • 20. LOS AMANTES PASAJEROS (Pedro Almodóvar)


  • Naquela que foi a resposta cinematográfica mais arguta e satírica do ano à crise económica europeia — e à de Espanha em particular —, as medidas de emergência enunciadas por Almodóvar são mais do que mero "fogo de vista".


    In what was this year's most shrewd and satirical cinematic reply to the European economic crisis — and to Spain in particular —, the emergency procedures exposed by Almodóvar are more than simple "fireworks".




  • 19. ONLY GOD FORGIVES (Nicolas Winding Refn)



  • Uma tragédia grega banhada em néon, onde complexos de Édipo e metáforas de castração abundam, a sua sufocante atmosfera é um triunfo visual e sonoro de puro estilo.


    A neon-lit Greek tragedy, where Oedipus complex and castration metaphors abound, the stifling atmosphere of the film is a pure triumph of image and sound building.




  • 18. BLUE JASMINE (Woody Allen)



  • Para os mais ressentidos, nem sempre se consegue servir a vingança mais fria. E Woody Allen encontra em Cate Blanchett o seu alter-ego feminino perfeito.


    For some bitter people, it's not always easy to serve the coldest revenge. And Woody Allen, with Cate Blanchett, has just found his perfect movie female alter-ego.




  • 17. LINCOLN (Steven Spielberg)


  • Sereno, contemplativo e austero como Spielberg raramente foi na sua carreira. As implicações políticas aqui sugeridas são tudo menos arcaicas.


    Quiet, contemplative, and austere as anything Spielberg has ever done. The politics implied here are everything but archaic.




  • 16. HANNAH ARENDT (Margarethe von Trotta)



  • A sinceridade argumentativa e a liberdade de pensamento podem ter consequências ambíguas. Barbara Sukowa proporciona uma das melhores interpretações femininas de 2013.


    Sincerity of speech and freedom of thinking has it both ways. Barbara Sukowa shows us one of the best female performances of 2013.




  • 15. NO (Pablo Larraín)



  • Marketing político em prol do futuro, ilustrado por uma estética vídeo que se revela, simultaneamente, adequada e magnificamente recriada.


    Political marketing for the future, wrapped in a video aesthetic which is, simultaneously, suitable and nobly recreated.




  • 14. PARDÉ (Jafar Panahi)



  • O bloqueio — criativo e humano — de um cineasta.


    A creative and humane director's blockade.




  • 13. WE ARE WHAT WE ARE (Jim Mickle)



  • Em carne viva — o horror gótico norte-americano está bem e recomenda-se.


    In the flesh — the American gothic horror is alive and well.




  • 12. LA VÉNUS À LA FOURRURE (Roman Polanski)



  • Jogos de género e de poder, capazes de gerar frenética criatividade e as mais inesperadas consequências.


    Male-female power games, able to bring forth some frantic creativity and the most unexpected consequences.




  • 11. LEONES (Jazmín López)



  • Atmosférico, sombrio e misterioso, é uma das mais agradáveis surpresas do ano, revelando-nos como estamos sempre um passo atrás do nosso verdadeiro âmago.


    Hipnotic, murky and eerie, it comes has a nice surprise about how we are always one step behind our inner being.



1 comentários:

INSIDE LLEWYN DAVIS (2013), de Joel e Ethan Coen



As nove e tragicómicas vidas de um esforçado cantor folk, INSIDE LLEWYN DAVIS (A PROPÓSITO DE LLEWYN DAVIS) é o arquétipo incondicional — aprimorado pelo toque especial dos irmãos Coen — do sonho artístico minado perante o irredutível poder do dinheiro e atraiçoado pelos defeitos inerentes ao ser humano. Uma palavra final para o estóico pragmatismo de Oscar Isaac no papel principal, e destaque para a meticulosa e impecável recriação da Greenwich Village dos anos 60.


The tragicomic nine lives of a struggling folk singer, INSIDE LLEWYN DAVIS is the absolute archetype — refined by the Coen brothers' special touch — of the artistic dream shattered by the ruthless power of money and betrayed by human shortcomings. An important word for Oscar Isaac's stoic pragmatism in the main role, and kudos for the meticulous and flawless portrayal of early-1960s Greenwich Village.




  • . Ficha Técnica / Credits:
Realização e Argumento / Directed and Written byJoel Coen, Ethan Coen
Produção / Produced byScott Rudin, Joel Coen, Ethan Coen
Fotografia / Cinematography by Bruno Delbonnel
Elenco / CastOscar Isaac (Llewyn Davis), Carey Mulligan (Jean), Justin Timberlake (Jim), John Goodman (Roland Turner), Garrett Hedlund (Johnny Five), F. Murray Abraham (Bud Grossman), Ethan Phillips (Mitch Gorfein), Robin Bartlett (Lillian Gorfein)
Ano / Year of release2013
País / CountryEUA / USA

4 comentários:

LA FILLE DE NULLE PART (2012), de Jean-Claude Brisseau



LA FILLE DE NULLE PART (A RAPARIGA DE PARTE NENHUMA), um ensaio subtil e belo em torno do contraste entre a incredulidade e a crença fantasmagórica na nossa própria vida.


LA FILLE DE NULLE PART (aka THE GIRL FROM NOWHERE), a subtle and beautiful essay about the struggle between scepticism and the ghostly faith in our lives.




  • . Ficha Técnica / Credits:
Realização, Produção e Argumento / Directed, Produced and Written byJean-Claude Brisseau
FotografiaDavid Chambille
Elenco / CastJean-Claude Brisseau (Michel Deviliers), Virginie Legeay (Dora), Claude Morel (Denis)
Ano / Year of release2012
País / CountryFrança / France

0 comentários:

Short of the Day #3



Numa abordagem sincera e eficaz ao espírito de "Um Cântico de Natal", de Charles Dickens, A CHRISTMAS ACCIDENT, produzido pelos Edison Studios, é uma encantadora surpresa. Breve mas precisa, o sentimento natalício aqui sugerido é, simultaneamente, terno, espirituoso e comovente.


A truly and effective take on Charles Dickens' 'Christmas Carol', A CHRISTMAS ACCIDENT, from the Edison Studios, is a charming surprise. Short and to the point, it effectively brings up the Holiday sentiment in a tender, witty and affecting manner.



  • . Ficha Técnica / Credits:
Realização / Directed byHarold M. Shaw
Produção / Produced byEdison Company
Argumento / Written byBannister Merwin, Annie Eliot Trumbull
Elenco / CastWilliam Wadsworth (Mr. Gilton), Mrs. William Bechtel (Mrs. Gilton), Augustus Phillips (Mr. Bilton), Ida Williams (Mrs. Bilton)
Ano / Year of release1912
País / CountryEUA / USA

0 comentários:

Short of the Day #2



No amor, pode sempre existir mais uma hipótese de fazer restart.
I'M HERE, realizado por Spike Jonze, é quase um prelúdio para o seu novo filme, a comédia romântica de ficção-científica HER, e a montra perfeita para os temas que dominam a filmografia do cineasta norte-americano.


In love, there is always another chance for a restart.
I'M HERE, directed by Spike Jonze, can be regarded as a prelude for his new movie, the sci-fi romantic comedy HER, and a perfect showcase of the usual themes in the north american filmmaker career.




  • . Ficha Técnica / Credits:
Realização e Argumento / Directed and written bySpike Jonze
Produção / Produced byVincent Landay
Música / Music bySam Spiegel
Fotografia / Cinematography byAdam Kimmel
Elenco / CastAndrew Garfield (Sheldon), Sienna Guillory (Francesca)
Ano / Year of release2010
País / CountryEUA / USA

0 comentários:

LA VIE D'ADÈLE – CHAPITRE 1 & 2 (2013), de Abdellatif Kechiche



"No amor à primeira vista, existe algo a mais ou a menos no nosso coração?"
A subtileza emocional de A VIDA DE ADÈLE: CAPÍTULOS 1 E 2 não fica subjugada face à crueza da narrativa de Kechiche — os bons e maus sentimentos partilhados pela ousada mas contundida dupla de protagonistas permanecerão no espectador por muito tempo. Assim como a infinita ternura no sorriso de Adèle Exarchopoulos, definitivamente uma das imagens de marca do Cinema de 2013.


"With love at first sight, is there something less or more in your heart?"
The emocional subtlety of LA VIE D'ADÈLE – CHAPITRE 1 & 2 (aka
BLUE IS THE WARMEST COLOR) is not overwhelmed by the rawness of Kechiche's screenplay — the good and bad feelings shared by the fierce but shattered lead actresses will remain in the viewer for a long time. That and the infinite tenderness of Adèle Exarchopoulos' smile, a sure trademark for 2013 in Cinema.




  • . Ficha Técnica / Credits:
Realização / Directed byAbdellatif Kechiche
Produção / Produced byAbdellatif Kechiche, Brahim Chioua, Vincent Maraval
Argumento / Written byAbdellatif Kechiche, Ghalia Lacroix
Adaptado de / Adapted from"Le Bleu est une couleur chaude", de/by Julie Maroh
FotografiaSofian El Fani
Elenco / CastLéa Seydoux (Emma), Adèle Exarchopoulos (Adèle), Salim Kechiouche (Samir), Aurélien Recoing (Pai de Adèle), Catherine Salée (Mãe de Adèle), Benjamin Siksou (Antoine)
Ano / Year of release2013
País / CountryFrança / France

1 comentários:

BRANCO (2013), de Luís Alves



A contestação à austeridade económica pode ser tudo menos austera.
Com BRANCO — destaque para a forma como ficção e documentário se mesclam —, Luís Alves é nome a reter para uma futura geração de realizadores portugueses.


Challenging the economic austerity may be anything but austere.
With
BRANCO — kudos for the achievement in merging fiction and documentary —, Luís Alves is a name to take into account for a future generation of Portuguese filmmakers.




  • . Ficha Técnica / Credits:
  • Realização, Argumento e Montagem / Directed, written and edited byLuís Alves
    Produção / Produced byLuís Alves, Daniel Bichinho
    FotografiaRuben Ivan Esteves, João Carlos Rodrigues
    Elenco / CastNuno Melo (Branco), Joaquim Nicolau (Isaías), Fernando Ferrão (Duque), Rita Lello (Mulher da Mesa), Augusto Portela (Homem da Mesa), Rita Soares (Rapariga da Mesa)
    Ano / Year of release2013
    País / CountryPortugal

5 comentários:

Short of the Day #1



Para um blog em busca de inspiração, nada melhor do que começar com um primeiro post inspirador.
L'HOMME QUI PLANTAIT DES ARBRES, realizado por Frédéric Back e vencedor de um Oscar da Academia para Melhor Curta-Metragem de Animação, pertence ao grupo restrito de obras cinematográficas capazes de elevar um espírito, através de uma simples mas tocante parábola sobre a perserverança e responsabilidade humanas para com a Natureza.


For a blog looking for inspiration, nothing better than an inspiring first post.
L'HOMME QUI PLANTAIT DES ARBRES (aka
THE MAN WHO PLANTED TREES), directed by Frédéric Back and winner of an Academy Award for Best Animated Short Film, belongs to that narrow group of movies that are capable of uplifting your spirit, through a simple but touching parable about human perseverance and responsability to nature.




  • . Ficha Técnica / Credits:
  • Realização / Directed byFrédéric Back
    Produção / Produced byFrédéric Back, Hubert Tison
    Argumento / Written byJean Giono, Jean Roberts
    Narração / Narrated byPhilippe Noiret
    Ano / Year of release1987
    País / CountryCanadá / Canada

2 comentários: