The Short Guide to FESTin 2014



Competição Oficial de Curtas-Metragens.

Short Film Competition line-up.


Sessão 1 — 2 de Abril (Quarta-Feira) — 18h00 — Sala 3

Session 1 — April 2 (Wednesday) — 06 PM — Hall 3


Sessão 2 — 3 de Abril (Quinta-Feira) — 19h00 — Sala 3

Session 2 — April 3 (Thursday) — 07 PM — Hall 3


Sessão 3 — 4 de Abril (Sexta-Feira) — 19h00 — Sala 3

Session 3 — April 4 (Friday) — 07 PM — Hall 3


Sessão 4 — 5 de Abril (Sábado) — 18h30 — Sala 3

Session 4 — April 5 (Saturday) — 06h30 PM — Hall 3


O alinhamento completo do FESTin 2014, que decorrerá de 2 a 9 de Abril no Cinema São Jorge, pode ser consultado no site oficial do Festival.

The full line-up of FESTin 2014, which will take place from April 2 to 9 at Cinema São Jorge, can be accessed in the Festival's official site.

0 comentários:

Short of the Day #20



Pode a paródia ao cinema de Ingmar Bergman ser apelidada de "doce blasfémia"? DE DÜVA: THE DOVE (1968) prova que sim. Através de sagazes referências aos títulos e temas mais conhecidos do cineasta, George Coe e Anthony Lover conceberam uma breve mas preciosa curiosidade para cinéfilos. Foi o filme de estreia da malograda Madeline Kahn, mais conhecida por LUA DE PAPEL (1973) e BALBÚRDIA NO OESTE (1974).


Can we use 'sweet blasphemy' to rate a parody about Ingmar Bergman? DE DÜVA: THE DOVE (1968) is a positive answer. Wisely referring the filmmaker's most notorious titles and themes, George Coe and Anthony Lover devised a brief but catchy curiosity for cinephiles. It was the film debut of the late Madeline Kahn, better known for PAPER MOON (1973) and BLAZING SADDLES (1974).




  • . Ficha Técnica / Credits:
Realização / Directed byGeorge Coe, Anthony Lover
Produção / Produced byGeorge Coe, Sidney Davis, Anthony Lover
Argumento / Written bySidney Davis
Fotografia / Cinematography byAnthony Lover
Elenco / CastPamela Burrell (Inga), George Coe (Viktor), Sid Davis (Death), Madeline Kahn (Sigfrid), Stan Rubinstein (Olin), Tom Stone (Gustav)
Ano / Year of release1968
País / CountryEUA / USA

0 comentários:

Short of the Day #19



"Por que razão não conseguimos filmar ordenadamente?".
Documentário em prol de um Irão mais eficiente, ORDERLY OR DISORDERLY (1981) tenta provar, cinematograficamente, os benefícios da ordem e harmonia para o capital humano e social de um país. Mas será que a mensagem perpassará, entre a turba e o trânsito, para as ruas de Teerão?


'Why can't we shoot orderly?'.
Towards a more efficient Iran,
ORDERLY OR DISORDERLY (1981) is a documentary which tries to verify, in a cinematic fashion, the benefits of order and harmony for a country's human and social setting. But, amidst the multitude and the traffic, will the message pervade to the streets of Tehran?




  • . Ficha Técnica / Credits:
Realização e Argumento / Directed and Written byAbbas Kiarostami
Ano / Year of release1981
País / CountryIrão | Iran

0 comentários:

The Short Guide to IndieLisboa 2014 — Part I

"Esgotado" um certo modelo de ficção dita "independente" que vem dominando, bem acabadinha, confortável e aconchegante (portanto não independente da formatação...), e que ainda continua a ser o porto seguro dos festivais, os programadores desta edição tentaram passar ao largo do cansaço acumulado. Asseguram que arriscaram. (...) Já na secção de Curtas-Metragens, competição internacional, o que se ofereceu à escolha dos programadores vinha já possuído por uma vontade de ultrapassar formatos. Por exemplo, a minutagem dos filmes ditos curtos, que se alonga, tornando a média-metragem um "formato muito específico", segundo o programador Miguel Valverde. Por isso, para dar espaço a filmes mais longos, e para se saborearem todas as consequências disso, foram reduzidos, em cerca de uma dezena, as participações no concurso.


Vasco Câmara, in Público.



"With a 'weared up' model of the so-called 'independent' fiction that has dominated in a pretty, comfortable and cozy fashion (and therefore not independent from formated styles...), which still remains a safe harbor for film festivals, this year's programmers tried to move off from the accumulated fatigue. They ensure that risks have been taken. (...) In the International Short Films competition, what was offered to the programmers's choice came fueled with a desire to overcome formats. For example, the length of the so-called short movies, which are getting longer, making the medium length movie a 'very specific format', according to Miguel Valverde, head of programming. So, to make room for longer movies, and allowing the full relishing of that option, the competition entries have been reduced in about a dozen titles."


Vasco Câmara, in Público.

0 comentários:

Online Short Movies #1



A que sabe voltar à casa que julgamos querer abandonar de vez? Um jovem a estudar em Lisboa faz uma viagem a São Miguel para descobrir qual é a sua relação com a terra-natal à medida que a distância e o tempo os vão separando. Percorre e filma com um novo olhar os sítios onde cresceu e que até agora lhe traziam uma sensação agridoce.
PDL-LIS (2012), o primeiro filme do português Diogo Lima (premiado no Panazorean Film Festival), está disponível aqui para visualização on-line até 21 de Abril.


What happens when we return home to the place we once abandoned? A young man studying in Lisbon goes back to São Miguel in order to discover the relation with his place of origin, a relation increasingly separated by distance and time. With new eyes he goes through the places he grew up, and that until now brought him a bittersweet feeling.
PDL-LIS (2012), the first feature by the portuguese Diogo Lima (awarded at Panazorean Film Festival), is available here for streaming until April 21st.

0 comentários:

The Short Guide to Fernando Lopes

Invisível há várias décadas, a curta-metragem de Fernando Lopes MARÇANO PRECISA-SE (1962), realizada imediatamente antes de BELARMINO e um dos mais procurados filmes de Fernando Lopes, foi localizada nos arquivos da RTP e vai ser projectada extra-programa na retrospectiva em curso da sua obra.

Protagonizado por uma criança, e dando protagonismo à Lisboa das avenidas novas, MARÇANO PRECISA-SE é uma surpreendente crónica urbana, reveladora da força do olhar com que Fernando Lopes revolucionou o Cinema dos anos 1960 portugueses.

Às 21h30 de terça-feira, 18 de março, antes da sessão de O FIO DO HORIZONTE na Cinemateca Portuguesa - Museu do Cinema.




Unseen for decades, Fernando Lopes' short movie MARÇANO PRECISA-SE (1962), directed priorly to BELARMINO and one of the most sought films of Fernando Lopes, has been found in the archives of RTP (Radio and Television of Portugal) and will be screened as an extra in the ongoing retrospective of the director's oeuvre.

Lead by a child, and highlighting Lisbon and its brand new avenues,
MARÇANO PRECISA-SE its a surprising urban chronicle, revealing Fernando Lopes' strong vision that revolutionized the Portuguese 1960's Cinema.

Tuesday 18th, at 9:30 pm, before the projection of
O FIO DO HORIZONTE in Cinemateca Portuguesa - Museu do Cinema

0 comentários:

Short of the Day #18



"Cine-cidade imaginária".
A CIDADE DE CASSIANO (1991), documentário ficcionado sobre o arquitecto Modernista português Cassiano Branco, revelou ao mundo a visão frenética mas nostálgica de Edgar Pêra, através de um poema cinemático sobre prédios-comboios, janelas-escotilhas e (memoravelmente, sobre o antigo Cinema Éden) perseguições policiais em cinemas extintos.


'Imagined kino-city'.
THE CITY OF CASSIANO (1991), a fictionalized documentary about the portuguese Modernist architect Cassiano Branco, revealed the frantic but nostalgic vision of Edgar Pêra, through a kinematic poet about train-buildings, ship-buildings and (memorably, about the old Éden Cinema) police chases around extinct cinemas.




  • . Ficha Técnica / Credits:
Realização / Directed byEdgar Pêra
Produção / Produced byCatarina Santos
Argumento / Written byEdgar Pêra, Henrique Cayatte
Fotografia / Cinematography byLaurent Simões
Ano / Year of release1991
País / CountryPortugal

0 comentários:

THE CONGRESS (2013, Ari Folman)



"Se vês escuridão, é porque escolheste a escuridão."
Provocante, multi-temático e detentor de inusitada espontaneidade visual, facilmente se pode classificar THE CONGRESS como uma das excentricidades cinematográficas mais notáveis dos últimos tempos. Explorando dilemas como as ambiguidades do futuro digital do Cinema, a distopia do domínio capitalista sobre qualquer emoção básica humana e o eterno terror do envelhecimento, Folman compõe uma hiperbólica reflexão sobre a obsessão das sociedades ocidentais em torno da celebridade e da imortalidade.


'If you see the dark, you choose the dark.'
Thought-provoking, multi-layered and master of an unsual visual spontaneity, we can easily call
THE CONGRESS as one of the most remarkable cinematic oddities in recent times. Exploring the ambiguities of Cinema's digital future, the dystopic rule of capitalism over any basic human emotion and the eternal horror of ageing, Folman creates an exaggerated projection of modern western society's obsession with celebrity and immortality.




  • . Ficha Técnica / Credits:
Realização e Argumento / Directed and Written byAri Folman
Produção / Produced byReinhard Brundig, Sébastien Delloye, Piotr Dzieciol, Ari Folman, David Grumbach, Eitan Mansuri, Ewa Puszczynska, Robin Wright
Adaptado de / Based on'The Futurological Congress' de/by Stanislaw Lem
Fotografia / Cinematography byMichal Englert
Música / Music by Max Richter
Elenco / CastRobin Wright (Robin Wright), Harvey Keitel (Al), Jon Hamm (Dylan Truliner), Paul Giamatti (Dr. Barker), Kodi Smit-McPhee (Aaron Wright), Danny Huston (Jeff), Sami Gayle (Sarah Wright)
Ano / Year of release2013
País / CountryAlemanha | Bélgica | França | Israel | Luxemburgo | Polónia /
Belgium | France | Germany | Israel | Luxembourg | Poland

0 comentários:

The Short Guide to Monstra 2014



Competição Oficial de Curtas-Metragens.

Short Film Competition.


  • A VOLTA DO LAGO / AROUND THE LAKE (Noémie Marsily, Carl Roosens)

  • A respiração de um atleta, um formigueiro destruído, uma poça, uma sandes esquecida num banco, um esquilo... fragmentos de vidas que nos levam a dar um passeio à volta do lago, com as palavras e música de "Carl & Les Hommes-Boîtes".

    The breath of a jogger, a demolished anthill, a puddle, a sandwich left on a bench, a squirrel... fragments of lives that take us for a walk around the lake, with the words and music of "Carl & Les Hommes-Boîtes".


  • ASTIGMATISMO (Nicolai Troshinsky)

  • Um rapaz que perdeu os óculos e só consegue focar uma coisa de cada vez. A sua vista é atraída pelos sons que o rodeiam. Vai ter de explorar um mundo embaciado de lugares desconhecidos e personagens estranhas.

    A boy, having lost his glasses, can only see one thing in focus at a time. His sight gets attracted by the sounds that surround him. He will have to explore a blurry world of unknown places and strange characters.


  • ELÉCTRICO / TRAM (Michaela Pavlátová)

  • É a monótona rotina diária para a condutora do Elétrico. Como todas as manhãs, os homens entram no elétrico para ir trabalhar, um após outro, todos iguais, silenciosos, cinzentos, apáticos. Ainda assim, nesse dia, após os solavancos e vibrações da estrada, ao ritmo dos bilhetes inseridos no obliterador, a condutora fica excitada e o veículo fica erótico. O desejo da condutora transforma a realidade numa fantasia surrealista e fálica. Então, ela viaja nos pénis rosados e gigantes dos passageiros. Música, Maestro!

    It’s the humdrum daily routine for the Tram’s conductress. As every morning, men get on the tram to go to work, one after another, all similar, quiet, grey, apathetic. And yet, on that day, following the jolts and the road’s vibrations, to the rhythm of the tickets inserted in the ticket-stamping machine, the conductress gets turned on and the vehicle gets erotic. The tram conductress’ desire turns the reality into a surrealistic and phallic fantasy. She then takes a ride on the passengers’ giant and blushing penises. Music, Maestro!


  • FERAL (Daniel Sousa)

  • Um menino selvagem é encontrado na floresta por um caçador solitário e trazido de volta à civilização. Alienado por este novo ambiente estranho, o rapaz tenta adaptar-se, usando as mesmas estratégias que o mantiveram seguro na floresta.

    A wild boy is found in the woods by a solitary hunter and brought back to civilization. Alienated by a strange new environment, the boy tries to adapt by using the same strategies that kept him safe in the forest.


  • GLORIA VICTORIA (Theodore Ushev)

  • GLORIA VICTORIA desenrola-se sobre os escombros, ainda fumegantes, de um furioso século 20, impulsionada pelo enaltecedor tema de Shostakovich: Sinfonia Leningrado (nº7). Fazendo lembrar uma marcha militar com notas de bolero, a música transporta-nos para um imaginário das frentes de combate e massacres, levando-nos desde Dresden até à Guernica, desde a Guerra Civil Espanhola até à Guerra das Estrelas. É ao mesmo tempo uma sinfonia que serve a máquina de guerra, que mexe com as massas e uma arte que chora os mortos, manifesta a sua indignação e apela à paz.

    GLORIA VICTORIA unfolds on the still-smoldering rubble of a furious 20th century, propelled by the exalting “invasion” theme from Shostakovich’s Leningrad Symphony (No. 7). Resembling a military march with bolero overtones, the music sweeps over imagery of combat fronts and massacres, leading us from Dresden to Guernica, from the Spanish Civil War to star wars. It is at once a symphony that serves the war machine, that stirs the masses, and art that mourns the dead, voices its outrage and calls for peace.


  • MACPHERSON (Martine Chartrand)

  • No Quebec, no início dos anos 1930, um jovem poeta, Félix Leclerc, fez amizade com Frank Randolph MacPherson, um engenheiro químico jamaicano. Macpherson, o jovem licenciado e fã de jazz que trabalhou para uma empresa de papel, inspirou Leclerc, que escreveu uma canção sobre o transporte de troncos rio abaixo, e intitulou-a de "MacPherson", em honra do seu amigo.

    In Quebec, during the early 1930s, young poet Félix Leclerc befriended Frank Randolph Macpherson, a Jamaican chemical engineer. A jazz fan, and a university graduate who worked for a pulp and paper company, Macpherson inspired Leclerc, who wrote a song about the log drives and entitled it “MacPherson” in honour of his friend.


  • O GRANDE COELHO / THE GREAT RABBIT (Atsushi Wada)

  • Houve um tempo em que chamávamos à nobre, profunda e misteriosa existência "A Grande". Mudámos com o tempo e os nossos pensamentos e a nossa consciência mudaram também. Então porque é que ainda continuamos a chamá-la "A Grande"?

    Once we called the noble, profound and mysterious existence The Great. We have changed with time; our thought and consciousness have changed. And yet, what makes us still call it The Great?


  • RECICLADO / RECYCLED (Lei Lei)

  • As seguintes imagens foram adquiridas ao longo dos anos numa zona de reciclagem na periferia de Pequim. Digitalizámos mais de meio milhão de negativos de 35mm a cores e selecionámos 3000 fotografias para criar a esta animação.

    The following images were sourced over the years from a recycling zone in the outskirts of Beijing. We scanned more than half a million 35mm color film negatives. We selected 3000 photos to create the animation you are about to see.



O alinhamento completo da Competição de Curtas-Metragens do Monstra 2014, que decorrerá de 13 a 23 de Março, assim como a restante Programação, pode ser consultado no site oficial do Festival.

The full line-up of the Shorts Competition for the 2014 Monstra, which will take place from March 13 to 23, including all the Festival sections, can be accessed in the Festival official site.

0 comentários:

Short of the Day #17



Golfe diabólico. EVIL DEMON GOLFBALL FROM HELL!!! (1996) é o primeiro trabalho de Rian Johnson — que mais tarde se notabilizaria por BRICK (2005) e LOOPER - REFLEXO ASSASSINO (2012) — ainda como estudante na USC School of Cinematic Arts. De absurdo expressionismo, esta é uma peculiar homenagem aos clássicos do cinema de terror.


Golf is evil. EVIL DEMON GOLFBALL FROM HELL!!! (1996) is the first work from Rian Johnson — who would later become noticeable with BRICK (2005) and LOOPER (2012) — while he was still a USC School of Cinematic Arts film student. In its nonsensical expressionism, this short film is a peculiar homage to classic horror films.




  • . Ficha Técnica / Credits:
Realização e Argumento / Directed and Written byRian Johnson
Fotografia / Cinematography bySteve Yedlin
Ano / Year of release1996
País / CountryEUA / USA

0 comentários:

FERAL (2012, Daniel Sousa)



Criança selvagem.
Expressionista, surreal e sem vestígio de palavra humana, FERAL é uma versão profundamente estilizada da fábula do menino criado entre os lobos e de impossível humanização, cuja narrativa e conteúdo ficam irremediavelmente ofuscados pelo imaginativo virtuosismo da animação. Belo mas não inesquecível.


Wild child.
Expressionistic, surreal and without a single word spoken,
FERAL is a highly stylized version of the fable about the boy who grows with wolves but can't adapt to the world of humans, whose narrative and content are absolutely overshadowed by the animation's imaginative virtuosity. Beautiful but hardly memorable.




  • . Ficha Técnica / Credits:
Realização, Produção e Argumento / Directed, Produced and Written byDaniel Sousa
Música / Music byDan Golden
Ano / Year of release2012
País / CountryEUA / USA

0 comentários:

The Brief History of the Short Film Academy Award



Um olhar pessoal pela História do Oscar da Academia para Melhor Curta-Metragem.

A personal journey through the history of the Academy Award for Live Action Short Film.


  • 1932

  • (Hal Roach)




  • 1934

  • (Lloyd Corrigan)




  • 1940

  • (George Sidney)




  • 1945

  • (Sammy Lee)




  • 1947

  • (Edward Cahn)




  • 1949

  • (Alain Resnais)




  • 1963

  • (Robert Enrico)




  • 1965

  • (Claude Berri)




  • 1971

  • (Robert Amram)




  • 1986

  • (Chuck Workman)




  • 1990

  • (Adam Davidson)




  • 1994

  • (Peter Capaldi)




  • 2004

  • (Andrea Arnold)




0 comentários: