JOURNEY TO THE WEST (2014, Tsai Ming-Liang)


O que estará a inquietar Denis Lavant?
O mundo abranda, do modo mais humanamente possível, em JOURNEY TO THE WEST. Tal fica de imediato estabelecido no seu plano-sequência inicial, oito minutos e meio do rosto apreensivo e irrequieto de Denis Lavant, antes de introduzir a presença de um monge Budista, em vagaroso percurso pelos cenários idílicos e ruas movimentadas de Marselha. Este minimalismo estético e narrativo(?) ocupará toda a hora de duração do filme, composto por pouco mais de uma dezena de planos, prendendo-nos ao curioso semi-surrealismo das suas imagens, suscitando a expectativa de antever algum momento inesperado ou o vestígio de uma ténue linha dramática. No fim — e tal como o próprio Lavant —, apenas procuraremos, entre a multidão, a morosidade pacífica daquele homem de roupagens laranja.

What's troubling Denis Lavant?
The world slows down, as humanly as possible, in JOURNEY TO THE WEST. This concept is immediately established by its opening tracking-shot, eight and a half minutes of Denis Lavant's uneasy and restless face, just before introducing the presence of a Buddhist monk, in a lingering stroll through Marseille's idyllic settings and busy streets. This aesthetic and narrative(?) minimalism will remain during the course of this one hour long movie, consisting in a little more than a dozen plans, capturing us to the curious semi-surrealism of its images, raising the expectation to anticipate some unexpected moment or the sign of a fine dramatic contour. In the end — just like Lavant does —, we will only seek, amidst the crowd, the peaceful slowness of a man in his orange robes.



  • . Ficha Técnica / Credits:
Realização / Directed byMing-liang Tsai
Produção / Produced byFrédéric Bellaïche, Vincent Wang
Argumento / Written byCh'eng-En Wu, Ming-liang Tsai
Fotografia / Cinematography byAntoine Héberlé
Música / Music by Sébastien Mauro
Elenco / CastKang-sheng Lee, Denis Lavant
Ano / Year of release2014
País / CountryFrança | Taiwan / France | Taiwan

0 comentários:

DOUBLE PLAY: JAMES BENNING AND RICHARD LINKLATER (2013, Gabe Klinger)


Mais próximos do que se poderia imaginar.
Dois autores tão díspares no percurso trilhado, na sensibilidade demonstrada pelos seus filmes e nas intenções de carreira revelam, neste DOUBLE PLAY: JAMES BENNING AND RICHARD LINKLATER, uma peculiar proximidade humana, não ancorada em preocupações artísticas ou cinefilias mútuas, mas numa constante meditação pelos efeitos e mutações causadas pela passagem do tempo. O diálogo entre Linklater (ANTES DO AMANHECER, 1995), um dos realizadores indie mais consensuais da actualidade, e Benning (AMERICAN DREAMS: LOST AND FOUND, 1984), pilar do cinema experimental contemporâneo, assume-se como uma utopia cinéfila, num raro exemplo de compreensão e apreço entre o filme comercial e a obra avant-garde.

Closer than it seems.
Two creators of such distinct pathways, sensibilities and career intentions reveal, in
DOUBLE PLAY: JAMES BENNING AND RICHARD LINKLATER, a peculiar human nearness, not harboured by mutual artistic concerns or cinefilias, but on an everlasting meditation on the effects and mutations caused by the passage of time. This dialogue between Linklater (BEFORE SUNRISE, 1995), an established indie filmmaker, and Benning (AMERICAN DREAMS: LOST AND FOUND, 1984), a pillar of contemporary experimental cinema, comes as a sort of cinephile’s utopia, in a rare example of understanding and appreciation between commercial and avant-garde film.


  • . Ficha Técnica / Credits:
Realização / Directed byGabe Klinger
Produção / Produced byRodrigo Areias, Sonia Buchman, Nicolas De La Mothe, Gabe Klinger, André S. Labarthe, Berndt Mader, Eugenio Renzi
Argumento / Written byGabe Klinger, Eugenio Renzi
Fotografia / Cinematography byEduard Grau
Ano / Year of release2013
País / CountryEUA | França | Portugal / France | Portugal | USA

0 comentários:

CENTRO HISTÓRICO (2012, Aki Kaurismäki, Pedro Costa, Víctor Erice, Manoel de Oliveira)


A História no centro.
Produzido para a Guimarães 2012 - Capital Europeia da Cultura, CENTRO HISTÓRICO é mais a soma de quatro vincadas e distintas visões cinematográficas (embora nenhum dos segmentos se revele determinante para a descrição da carreira dos participantes) do que o desejo de homenagear aspectos inerentes à cidade que constituiu o cerne do projecto. Esqueça-se Guimarães; eis, isso sim, um espectro da História, no seu conceito lato, que encontra maior presença, seja através das memórias de um passado pessoal mais feliz que o presente (Aki Kaurismäki), dos traumas do colonialismo português e da imigração insatisfeita (Pedro Costa), das maleitas do capitalismo no seio de pequenas comunidades (Víctor Erice) ou pelo turismo cultural que se revela irónico (Manoel de Oliveira).

History in the center.
Commissioned by Guimarães 2012 - European Capital of Culture,
HISTORIC CENTREcomes only as the sum of four pronounced and distinguished cinematic visions (although none of the segments will ever be a decisive step to the work of the four participants), in a careless tribute to the city that started as the basis for the project. Forgetting about Guimarães, it is the ghost of History, in a broad sense, that gets full presence, either by the memories of a happier past (Aki Kaurismäki), the traumatic Portuguese colonialism and an unfulfilled sense of immigration (Pedro Costa), or from the evils of capitalism in a small community (Víctor Erice) to an ironic cultural tourism (Manoel de Oliveira).


  • . Ficha Técnica / Credits:
Realização / Directed byAki Kaurismäki, Pedro Costa, Víctor Erice, Manoel de Oliveira
Produção / Produced byRodrigo Areias, Aki Kaurismäki
Argumento / Written byAki Kaurismäki, Pedro Costa, Víctor Erice, Manoel de Oliveira
Fotografia / Cinematography byPedro Costa, Timo Salminen, Leonardo Simões, Valentín Álvarez
Música / Music by Pedro Santos
Elenco / CastIlkka Koivula, Ventura, Valdemar Santos, Ricardo Trêpa
Ano / Year of release2012
País / CountryPortugal

0 comentários:

EDUCAÇÃO SENTIMENTAL (2013, Júlio Bressane)


O "museu das sensibilidades perdidas".
Só por lapso se poderá considerar EDUCAÇÃO SENTIMENTAL como filme em que a palavra (não obstante o desempenho de Josi Antello ser um exemplo de aprimorada dicção em Português) é dona e senhora. Pelo contrário, Júlio Bressane constrói um fresco sobre uma gramática e sensibilidade fílmicas que os tempos actuais tornaram anacrónicas, mas totalmente reveladoras do modo como o Cinema se distingue de outras formas artísticas. O experimentalismo abunda, e nem sequer falta a exaltação da película como formato por excelência para a arte da imagem em movimento.

The "museum of lost sensitivities".
Only by mistake can we consider
EDUCAÇÃO SENTIMENTAL (a.k.a. SENTIMENTAL EDUCATION) as a verbose movie (although Josi Antello's performance is a remarkable example of portuguese utterance). On the contrary, Júlio Bressane sets up a lively fresco about a grammar and filmic sensibility that, in spite of its anachronistic feel, are absolutely revealing of how Cinema distinguishes itself from other artistic forms. Experimentation abounds, and there is even room for an elevation of film stock as the proper format to the moving image art.


  • . Ficha Técnica / Credits:
Realização / Directed byJúlio Bressane
Argumento / Written byJúlio Bressane, Rosa Dias
Fotografia / Cinematography byPablo Baião, Walter Carvalho, Rosa Dias
Música / Music by Guilherme Vaz
Elenco / CastJosi Antello (Áurea), Bernardo Marinho (Áureo), Débora Olivieri
Ano / Year of release2013
País / CountryBrasil / Brazil

0 comentários:

The Short Guide to IndieLisboa 2014 — Part IV



Destaques do alinhamento de Curtas-Metragens da Secção Observatório.
Observatory Short Film line-up highlights.

  • SLEEPING IMAGE (Lucile Chaufour, Bernhard Braunstein)


  • Filme intimista que em 25 polaróides percorre pessoas e paisagens que se encontram numa espécie de sonho; num movimento fluído e contínuo, o filme abre caminho através de um mundo hostil e fascinante, onde a violência e o sofrimento coexistem com a esperança e a resiliência.
    A "film-experience" that lets us see the development of 25 Polaroids and the imagination they contain; in a continuous, fluid motion, the film offers a way through a hostile and fascinating world, where violence and suffering stand alongside hope.

  • JOURNEY TO THE WEST (Tsai Ming-liang)


  • Um monge budista caminha pela cidade de Marselha a passo de caracol, no meio da indiferença de quem passa. A lentidão e o cuidado de cada passo parecem não levar o monge a lado nenhum e desafiam a paciência tanto do que caminha como de quem vê passar, mas o trajecto visa a busca de uma paz interior apenas possível quando se escuta o corpo a cada passo; e no meio do barulho da cidade há um homem que o segue (interpretado por Denis Lavant) que, qual discípulo, imita os seus passos e parece encontrar aí um sentido para a vida.
    A Buddhist monk on a wondrously patient journey throughout the city of Marseille city of Marseille; there is also a second man played by Denis Lavant whose presence in the film begins as almost omniscient – or at least physically abstracted – until he finally manifests in the French streets following the monk in a careful replication of his measured pace.

  • THING (Anouk De Clercq)


  • Um arquitecto fala da cidade que construiu; aos poucos percebe que a cidade é imaginária e que o relato é apenas uma tentativa de dar forma às suas ideias. A par do texto, vemos uma animação que parte do processo inverso: de uma tecnologia que digitaliza edifícios já construídos, captando deles a sua estrutura – a sua alma – e criando imagens pulverizadas, com aspecto de esboços, mais próximas dos edifícios imaginados a que se refere o arquitecto.
    An architect talks about the city he has built. Gradually we realise that the city is imaginary. His account is an attempt to give his ideas a fixed shape.

  • PIERROT LUNAIRE (Bruce LaBruce)


  • Bruce LaBruce leva PIERROT LUNAIRE para as ruas de Berlim e, ao som da interpretação que o maestro Premil Petrovic faz da música de Arnold Schönberg, filma uma história de desejo, amor e transgressão, em que uma mulher vestida de homem seduz uma jovem rapariga que não imagina que o amante é na verdade uma amante.
    Bruce LaBruce takes PIERROT LUNAIRE to the streets of Berlin and with conductor Premil Petrovic’s interpretation of Arnold Schönberg’s music, shots a story of desire, love and transgression, in which a woman dressed as a man seduces a young girl who doesn’t suspect that her lover is actually a female.

  • WHEN I STOP LOOKING (Todd Herman)


  • WHEN I STOP LOOKING força o olhar sobre os retratados, cada um com deformações faciais específicas e perturbadoras; a demora no ecrã permite-nos percebê-los para lá da aparência, nas suas expressões e afectos.
    WHEN I STOP LOOKING forces the gaze over those portrayed, each with a specific and disturbing facial deformity; the longer they stay on screen the more we can understand them beyond their appearance, in their expressions and affections.

  • HELEN OF T (Lewis Klahr)


  • Lewis Klahr, ao som de uma composição de Elmer Bernstein, contempla o envelhecimento.
    Lewis Klahr’s contemplation of aging over a piece of music by Elmer Bernstein.

  • ASSEMBLÉE GÉNÉRALE (Luc Moullet)


  • Uma reunião de condomínio com tudo para ser rápida acaba por contar com presenças inesperadas, dispostas a fazer valer as suas reivindicações.
    A co owner General Assembly seen by Luc Moullet is the opposite of the dull meetings we all have experienced.

  • TOKYO (Dietmar Brehm)


  • Há em TOKYO um som metálico recorrente que regressa uma e outra vez ao longo do filme; no meio o silêncio; as imagens em negativo e câmara lenta são de caras (máscaras?) e de corpos que interagem, não se sabe se com violência ou com desejo; neste filme a preto e branco é quase tudo cinzento.
    There is a recurrent metallic sound in TOKYO that cuts through the silence; the images in negative and slow motion are from faces (masks?) and bodies interacting: is it violence or desire?

  • LA PART DE L'OMBRE (Olivier Smolders)


  • É sombria a história do fotógrafo húngaro Oskar Benedek, que a 7 de Fevereiro de 1944, dia em que inaugurava uma exposição do seu trabalho, desaparece. Sessenta anos mais tarde, LA PART DE L'OMBRE, vai tentar desvendar o seu misterioso destino.
    LA PART DE L'OMBRE recovers the life of the Hungarian photographer Oskar Benedek, who disappeared the day his exhibition opened; what happened to him?

  • O UMBRA DE NOR (Radu Jude)


  • Num dia de verão, em Bucareste, um padre é chamado para rezar por uma mulher à beira da morte, mas com tanto calor, as coisas podem não correr bem.
    In a fourteenth century building, O UMBRA DE NOR shows us the passing of time as the sunlight moves during the day and illuminates the past, directly or reflected, pointing the future.
O alinhamento completo das Curtas-Metragens na Secção Observatório do IndieLisboa 2014, que decorrerá de 24 de Abril a 4 de Maio, pode ser consultado no site oficial do Festival.
Observatory Short Film full line-up of IndieLisboa 2014, which will take place from April 24 to May 4, can be accessed in the Festival official site.

0 comentários:

The Short Guide to Film Preservation



Ao longo do último século, a película mudou a Humanidade. Desde os primeiros fragmentos de movimento registado, permitiu observar, documentar, educar e retratar a nossa existência de formas inusitadas usando apenas as mecânicas da luz, de lentes e da química. É uma das nossas maiores invenções, a forma artística do Século XX. A película é um formato belo, físico e robusto que mantém a luz no seio da sua textura e contém na sua emulsão a impressão do tempo. É a nossa memória cultural e histórica: um lugar de imaginação, poesia, arte e vida. É a Pedra de Rosetta dos nossos tempos.

Over the past century, film has changed humankind. From the earliest fragments of captured movement, it has allowed us to watch, document, educate and depict ourselves in untold ways using just the mechanics of light, lenses and chemistry. It is one of our greatest inventions, the art form of the 20th century. Film is a beautiful, physical and robust medium that keeps the light within its fabric and holds in its emulsion the imprint of time. It is our cultural and historical memory: a place of imagination, poetry, art and life. It is the Rosetta Stone of our time.

0 comentários:

The Short Guide to IndieLisboa 2014 — Part III



Destaques da Competição Nacional de Curtas-Metragens.
National Short Film Competition highlights.

    Antero é um homem que acabou de sair da prisão onde passou os últimos anos e regressa à sua aldeia movido por um desejo de vingança que o ajude a recuperar a sua dignidade.
    Antero just left the prison and heads to his home village driven by revenge and hoping to recover his lost dignity; but time might have turned against him.

  • BOA NOITE CINDERELA (Carlos Conceição)

    No Reino de Portugal, em 1859, BOA NOITE CINDERELA recupera o conto da Gata Borralheira numa versão mais carnal, mais materialista, menos romântica, onde é imprecisa a fronteira que separa o desejo de ter e de ser a dona do sapato.
    Kingdom of Portugal, 1859: BOA NOITE CINDERELA recovers the tale in a more materialistic and carnal version, where the motivation for finding the girl who lost her shoe might not be the owner herself.

  • A CAÇA REVOLUÇÕES / THE REVOLUTION HUNTER (Margarida Rego)

    Animação experimental que explora a relação entre duas gerações, dois tempos e duas lutas diferentes; é a Revolução de Abril a inspirar as gerações que apenas a conhecem através de relatos dos que a viveram e das fotografias de que nos apropriamos para a tornar nossa.
    A film that explores the relationship between two generations, two different times and two different fights. As if we could transform a photograph by drawing on it. As if we could transform the present by drawing over the past.

  • COISA DE ALGUÉM / LOST PROPERTY (Susanne Malorny)

    Em gavetas, caixas e estantes, etiquetadas e organizadas num espaço sujo e poeirento, guardam-se objectos, uma Coisa de Alguém; este departamento de perdidos e achados de Lisboa tem uma rotina diária que o filme acompanha, ao mesmo tempo que reflecte sobre as ideias de propriedade, de perda e de encontro.
    LOST PROPERTY is a documentary film which depicts the workaday life of a lost and found office in Lisbon, reflecting upon notions of property, loss and retrieval, and the dynamics of a modern complex society.

  • CORO DOS AMANTES / CHORUS (Tiago Guedes)

    O CORO DOS AMANTES é composto por três "canções" que, a duas vozes, contam o mesmo acontecimento asfixiante sob duas perspectivas diferentes.
    CHORUS is made of three "songs" that, in two voices, tell the same suffocating event from two different perspectives.

  • DADDIES (António da Silva)

    DADDIES entrevista dez homens gay que enquanto se despem falam da sua identidade daddy (um termo utilizado para designar homens mais velhos), das suas relações, do poliamor, do seu pénis e dos desejos sexuais.
    DADDIES interviews ten gays who identify themselves as 'daddies' as they undress: while explaining their identity they talk about their relationships, polyamor, their penis and sexual desires.

  • ENNUI ENNUI (Gabriel Abrantes)

    AS FIGURAS GRAVADAS NA FACA COM A SEIVA DAS BANANEIRAS recupera num movimento contínuo e ritmado que sugere o rodar da luz de um farol a memória colonial em postais trocados, nos anos 60 e 70, entre a Ilha da Madeira e Moçambique.
    In THE FIGURES CARVED INTO THE KNIFE BY THE SAP OF THE BANANA TREES the postcards sent between the island of Madeira and the former Portuguese colony of Mozambique create a fictional colonial memory.

  • IMPLAUSIBLE THINGS (Rita Macedo)

    A partir de material em 16mm, IMPLAUSIBLE THINGS constrói sete quadros que com diferentes propostas convidam o espectador a abandonar as noções de razão e causalidade.
    Built from 16mm found footage, IMPLAUSIBLE THINGS’ seven sequences create a patchwork of reflective tonality, in which each viewer is subtly invited to leave their conceptions of reason and causality behind.

  • JEWELS (SANDRO AGUILAR)

    JEWELS leva-nos para um universo misterioso e sombrio de insectos em diapausa, ao mesmo tempo que uma narração hipnótica nos introduz na doutrina do magnetismo animal.
    An experimental film about hypnosis, diapausing insects and a broken heart.

  • LE PETIT PRINCE AU PAYS QUI DÉFILE (Carina Freire)

    Retrato íntimo do patinador artístico Stéphane Lambiel, duas vezes campeão do mundo e medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Turim; a proximidade com a realizadora faz com que vejamos de perto o rapaz e ao longe a celebridade.
    An intimate portrait of the famous figure skater Stéphane Lambiel, two times world champion and silver medallist at the Turin Winter Olympics, showing the young man distanced from the star he still is.

  • PONTO MORTO (André Godinho)

    PONTO MORTO acompanha a viagem de automóvel de um casal que parte de férias. No caminho encontram uma mulher morta num acidente de carro e a viagem toma um outro rumo.
    PONTO MORTO is an on the road film that suddenly, on a desert route, comes across a car accident; from then on the trip takes a whole different course.

  • RETRATO / PORTRAIT (Vasco Araújo)

    A memória de uma família é recuperada num diálogo entre os vários retratos pendurados nas paredes de uma casa vazia.
    A film about the memory of a place, a home, a family, in a dialogue between portraits hanging on the walls who talk about their feelings, power games, thus creating an atmosphere of mystery and seduction.

  • AS ROSAS BRANCAS / THE WHITE ROSES (Diogo Costa Amarante)

    Um conto sobre a memória, o luto e a alteração dos papéis na família; na sequência da morte da mãe, os irmãos e o pai juntam-se em torno de uma campa na neve e tentam superar o vazio que a mãe deixou.
    An emotional tale about memory, mourning, faith, loss, and the shifting of family roles in the wake of a death; how to proceed with the mother inside one’s heart?

  • SQUARE DANCE, LOS ANGELES COUNTY, CALIFORNIA, 2013 (Sílvia das Fadas)

    A partir de fotografias tiradas por Russell Lee ao abrigo de um programa federal de ajuda a agricultores afectados pela Grande Depressão que recolhia retratos de migrantes zonas rurais, Sílvia das Fadas constrói esta SQUARE DANCE, LOS ANGELES COUNTY, CALIFORNIA, 2013 que recupera, de acordo com as emoções que as fotografias lhe suscitam, a vida e as relações destas pessoas.
    From the photographs taken by Russell Lee in the rural America during the Great Depression, SQUARE DANCE, LOS ANGELES COUNTY, CALIFORNIA, 2013 tries to recover the life and relationships of the people photographed following the emotions they raise.

  • VARADOURO (Paulo Abreu, João da Ponte)

    No Faial, Açores, VARADOURO percorre as piscinas naturais da região num documentário que de um momento para o outro ganha uma dimensão mitológica.
    The natural pools of VARADOURO on the island of Faial in the Azores suddenly gain a mythological dimension.

O alinhamento completo da Competição Nacional de Curtas-Metragens do IndieLisboa 2014, que decorrerá de 24 de Abril a 4 de Maio, pode ser consultado no site oficial do Festival.
The full line-up of the National Shorts Competition for the IndieLisboa 2014, which will take place from April 24 to May 4, can be accessed in the Festival official site.

0 comentários:

TOO MUCH JOHNSON (1938, Orson Welles)



Antes de CITIZEN KANE.
Na sua ténue lógica narrativa e experimental construção formal, não custa compreender que TOO MUCH JOHNSON tanto se inspira no slapstick de Buster Keaton como nas obras surrealistas de Man Ray ou na dinâmica da teoria da montagem soviética. No entanto, esta incursão inicial de Orson Welles pelo Cinema — nunca idealizada como filme, pois foi produzido com o intuito de ser a vertente cinematográfica de uma encenação teatral — cimenta-se como importante curiosidade histórica, agora devidamente preservada, onde é possível observar o virtuosismo, a preocupação arquitectónica dos enquadramentos e a experimentação com a câmara do realizador que concebeu O MUNDO A SEUS PÉS (1941) e AS BADALADAS DA MEIA-NOITE (1965).

Before CITIZEN KANE.
With a thin narrative logic and tentative formal framing, it isn't hard to understand that
TOO MUCH JOHNSON gets its inspiration from Buster Keaton's slapstick, but it also owes to Man Ray's surrealist pieces or to the Soviet montage theory dynamics. However, this initial film foray by Orson Welles — it was not intended to stand as a full feature, since it was designed to be the cinematic aspect of a stage presentation — holds itself as a substantial historical curiosity, now duly preserved, where it is plain to watch all the virtuosity, the concerns about architectural framing and camera experimentation from the filmmaker who brought us CITIZEN KANE (1941) and CHIMES AT MIDNIGHT (1965).



  • . Ficha Técnica / Credits:
Realização / Directed byOrson Welles
Produção / Produced byJohn Houseman, Orson Welles
Argumento / Written byWilliam Gillette, Orson Welles
Fotografia / Cinematography byPaul Dunbar, Harry Dunham
Elenco / CastJoseph Cotten (Augustus Billings), Virginia Nicolson (Lenore Faddish), Edgar Barrier (Leon Dathis), Arlene Francis (Mrs. Dathis), Ruth Ford (Mrs. Billings)
Ano / Year of release1938
País / CountryEUA / USA

0 comentários:

Short of the Day #22



Memórias soviéticas.
Eleito como o melhor filme animado de todos os tempos por animadores e críticos em 1984, SKAZKA SKAZOK é uma viagem pessoal e profunda pelas memórias de Norshteyn através do espaço real, de pedaços fragmentados de sonhos, de visões turvas, alucinações e fantasias. Um banquete de livre associação.


Soviet memories.
Voted as the best animated film of all time by animators and critics in 1984, SKAZKA SKAZOK (a.k.a.
TALE OF TALES) is a personal and profound journey to Norshteyn memories through the real physical space, fragmentary pieces of dreams, half-remembered visions, hallucinations and fantasies. A feast of free association.




  • . Ficha Técnica / Credits:
Realização / Directed byYuriy Norshteyn
Produção / Produced byG. Kovrov
Argumento / Written byLyudmila Petrushevskaya, Yuriy Norshteyn
Fotografia / Cinematography byIgor Skidan-Bosin
Música / Music byMikhail Meerovich
Ano / Year of release1979
País / CountryUnião Soviética / Soviet Union

0 comentários:

The Short Guide to IndieLisboa 2014 — Part II



Destaques da Competição Internacional de Curtas-Metragens.

International Short Film Competition highlights.


  • THE DISQUIET (Ali Cherri)

  • O Líbano é um país situado em várias falhas geológicas que estiveram na origem de violentos terramotos; em THE DISQUIET reflecte-se sobre a situação sísmica do país, ao mesmo tempo que se antecipam aspectos mais profundos de uma iminente catástrofe.

    Earth-shattering events are relatively par for the course in Lebanon, with war, political upheaval and a number of social revolts. While the Lebanese focus on surface level events that could rock the nation, few realize that below the ground we walk on, an actual shattering of the earth is mounting. Lebanon stands on several major fault lines, which are cracks in the earth's crust. The film investigates the geological situation in Lebanon, trying to look for the traces of the immanent disaster.


  • LA FUGUE (Jean-Bernard Marlin)

  • Lakdar, assistente social num reformatório em Marselha, tem de ir a tribunal com Sabrina, uma das jovens ao seu cuidado; a rapariga vai ser julgada por um crime que cometeu há algum tempo, mas Lakdar está confiante que o seu esforço vai ser recompensado.

    A detention centre for young offenders in Marseille. Lakdar, a committed young social worker is looking for Sabrina, one of the young people in his care. Today the court will pronounce judgement on Sabrina’s past offences. At first she doesn’t want to go and then they are delayed. It’s getting late, but Lakdar is confident that things will work out.


  • IRL (Grant Singer)

  • Uma jovem alienada tenta reconstruir os passos da noite anterior que poderão desvendar as misteriosas imagens de um suicídio.

    Angel awakes from a godless night partying, left with strobing traces of memory. Brutally hungover, she notices dozens of missed phone calls from an unknown number and can't shake the feeling that she's being followed. When an acquaintance arrives and relays the rumor that a girl was impaled and shoved in front of a subway train, Angel fears she may have been with the victim during her final moments.


  • LA ISLA (Dominga Sotomayor, Katarzyna Klimkiewicz)

  • LA ISLA é um filme que junta a realizadora chilena Dominga Sotomayor com a polaca Katarzyna Klimkiewicz, no âmbito de um projecto que pretende aproximar jovens realizadores da Europa e da América Latina; neste filme, as duas criam um ambiente quase mágico a partir do encontro e da espera de uma família numa remota ilha onde em tempos costumavam todos passar férias.

    A group of people gather for a family reunion in a house on an isolated island. They are waiting for the last person to join them, but as the evening arrives and he doesn’t arrive, a strange anxiety overwhelms them.


  • LES JOURS D'AVANT (Karim Moussaoui)

  • As histórias de Djaber e Yaminas, dois jovens vizinhos de um bairro social nos arredores de Argel, em meados dos anos 90, durante um período conturbado da história recente do país; numa cultura que não encoraja a proximidade entre rapazes e raparigas, os dois conhecem-se apenas de vista e cada um tem as suas fantasias sobre a vida do outro.

    A city in southern Algeria in the mid 90s. Djaber and Yamina are neighbors, but they don't know each other. In only a few days, what had been nothing more than a deaf and far off violence explodes before them, changing their destinies forever.


  • LA LAMPE AU BEURRE DE YAK (Wei Hu)

  • Um jovem fotógrafo itinerante convida as populações nómadas locais a deixarem-se fotografar à frente de cenários icónicos da China moderna.

    A young itinerant photographer and his assistant suggest to Tibetan nomads to photograph them in front of various background.


  • MILLE SOLEILS (Mati Diop)

  • MILLE SOLEILS documenta a viagem da realizadora francesa Mati Diop ao Senegal onde se cruzam, com humor e melancolia, numa homenagem ao filme de culto TOUKI BOUKI (1973), realizado pelo seu tio, Djibril Diop Mambety, a história da sua família, a do cinema e a do Senegal.

    The hero in the film, Magaye Niang, has never left Dakar. And now, the old cowboy wonders what happened to Anta, the love of his youth. Family stories, exile and cinema blend in intimate and mythical spheres.


  • MOLII (Mourad Boudaoud, Carine May, Yassine Qnia, Hakim Zouhani)

  • Steve faz o turno da noite do pai que é guarda de uma piscina municipal nos arredores de Paris. No início tudo corre como previsto, mas eis que se começam a ouvir barulhos.

    Steve is in his late twenties. Tonight, he's replacing his father, who works as watchman at the community pool. Everything is going smoothly, until the young man starts hearing strange noises.


  • MONTENEGRO (Luiz Stockler)

  • Zinedine Zidane, por que agrediste aquele homem?

    Zinedine Zidane, why did you headbutt that man?


  • NASZA KLATWA (Tomasz Sliwinski)

  • Declaração pessoal do realizador e da sua mulher que se vêem forçados a lidar com a doença rara do filho recém-nascido – a Maldição de Ondina; aos poucos vão ter de aprender a superar o medo causado pela estranha doença para poderem apreciar inteiramente a condição de pais.

    The film is a personal statement of the director and his wife, who have to deal with a very rare and incurable disease of their newborn child – the Ondine’s Curse (also known as CCHS, congenital central hypoventilation syndrome). People affected with this disease stop breathing during sleep and require a lifetime mechanical ventilation on a ventilator.


  • POUCO MAIS DE UM MÊS (André Novais Oliveira)

  • André e Élida namoram há pouco tempo. Na realidade e na ficção.

    André and Elida are dating for a short time. In real life and in fiction.


  • QUE JE TOMBE TOUT LE TEMPS? (Eduardo Williams)

  • Num mundo subterrâneo, real e figurativo, um jovem embarca numa longa viagem digestiva em busca de uma semente exótica.

    Searching for a seed, a young man emerges from the underground where he hangs out with his friends. They all embark on a long digestive trip.


  • QUELQU'UN D'EXTRAORDINAIRE (Monia Chokri)

  • Uma rapariga de 30 anos vê-se obrigada a participar na despedida de solteira de uma velha amiga que a confronta com o fosso entre ela, socialmente desajustada, e o mundo a que pertenceu na adolescência.

    A 30-year-old scholar, intelligent and beautiful yet socially crippled, is forced to attend a bachelorette party where her quest for authenticity leads to an unavoidable confrontation with old acquaintances.


  • SUBSTANZ (Sebastian Mez)

  • A partir de imagens captadas pelo realizador no Japão, em 2011, logo após o terramoto e o tsunami que atingiram o país, SUBSTANZ sobrepõe imagens e som para recriar a sensação de se estar perdido num país em estado de emergência.

    Working with footage that was shot in Japan 2011, right after the nuclear catastrophe that hit the country, this cinematic composition examines the randomness and distance of the footage itself, in order to attain a new level of perception by overlapping image and sound.


  • DER UNFERTIGE (Jan Soldat)

  • O retrato de Klaus Johannes Wolf que escolheu viver como escravo: acorrentado à cama fala da sua decisão, da família, do significado da nudez e da dedicação com que serve os outros.

    A documentary portrait about Klaus Johannes Wolf and his life as slave. Chained on his bed he's talking about his decision.


  • WORKING TO BEAT THE DEVIL (Chu-Li Shewring, Adam Gutch)

  • Através da narração dos escritos de Charles Darwin, WORKING TO BEAT THE DEVIL apresenta-nos o cientista Guy Shewring, que com uma memória afectada pelos seus muitos anos de existência tenta descobrir os segredos da criação da vida, construindo para isso um mundo imaginário onde a ciência se torna ficção.

    An ageing scientist troubled and confused by remembrances from his past, toils night and day to (re)discover secrets to the creation of life. The creature, stuggling for existence in the natural world, journeys unceasingly to find its creator.


O alinhamento completo da Competição Internacional de Curtas-Metragens do IndieLisboa 2014, que decorrerá de 24 de Abril a 4 de Maio, pode ser consultado no site oficial do Festival.

The full line-up of the International Shorts Competition for the IndieLisboa 2014, which will take place from April 24 to May 4, can be accessed in the Festival official site.

0 comentários: