The Short Guide to Doclisboa 2014 — Part II



Competição Portuguesa de Curtas-Metragens do Doclisboa 2014.

Portuguese Competition Short Films for Doclisboa 2014.


  • METÁFORA OU A TRISTEZA VIRADA DO AVESSO (Catarina Vasconcelos)

  • A correspondência entre um irmão e uma irmã, em pleno aniversário da morte da mãe, leva-os numa viagem ao passado, para compreender o tempo em que a mãe vivia e como era o seu país, Portugal, na década de 1970, quando ocorreu uma revolução. Misturando uma história familiar com a história de Portugal, este filme é uma luta contra o esquecimento.

    A correspondence between a brother and sister in the midst of the anniversary of their mother’s death, causes them to go in a journey to the past to understand the time where their mother lived and how their country, Portugal, was in the 1970’s when a revolution took place. In a blend of a family story with the Portuguese History, this film is a fight against oblivion.


  • MOTU MAEVA (Maureen Fazendeiro)

  • Retrato de Sonja, aventureira do século XX, a viver numa ilha que ela construiu sozinha: Motu Maeva.

    A portrait of Sonja, adventurer of the twentieth century, living on an island that she built by herself: Motu Maeva.


  • O INDISPENSÁVEL TREINO DA VAGUEZA (Filipa Reis, João Miller Guerra)

  • "Fazer chegar um novo através de coisas que não são exactamente novas." Manuel Castro Caldas. "O Ar.Co é uma geografia de cada um, foge à normalização. A experiência é individual. Este filme é a nossa experiência." Filipa Reis, João Miller Guerra.

    "To come to a new through things that are not exactly new." Manuel Castro Caldas. "Ar.Co is a geography in each one of us, it flees from standardization. The experience is individual. This film is our experience." Filipa Reis, João Miller Guerra.


  • TEARES (Mónica Baptista)

  • A construção da Barragem de Castelo de Bode começou em 1945. Junto à nova albufeira, encontramos agora três mulheres que, nascidas nessa década, mantêm uma das mais ancestrais práticas humanas, o tecer. É nos vaivéns do tear que se enlaça o carácter misterioso e patético da vida, os acontecimentos do subconsciente e as mutações do entorno paisagístico.

    The construction of the Castelo de Bode Dam began in 1945. By the new reservoir we now meet three women born in the 1940’s, who still carry out one of the most ancient human crafts – weaving. The mysterious and pathetic character of life, the events of the subconscious and the mutations of the environmental landscape intertwine with the loom’s back and forth.


  • UM FILME PERDIDO (Eduardo Amaro)

  • Um homem no meio da vida, Eduardo reencontra as imagens da sua infância. Através destas, tenta reconstruir a memória do passado, para contar a história ao filho, enfrentando a morte, a dor e a separação.

    Eduardo, a middle-aged man finds images from his childhood. He tries to rebuild the memory of his own past in order to tell the story to his son. In his walk down memory lane he will face death, pain, and separation.

A programação completa do Doclisboa 2014, que decorrerá de 16 a 26 de Outubro, pode ser consultada no site oficial do Festival.
The full programme of Doclisboa 2014, which will take place from September 16 to 26, can be accessed in the official site of the festival.

0 comentários:

The Short Guide to Doclisboa 2014 — Part I



Competição Internacional de Curtas-Metragens do Doclisboa 2014.

International Competition Short Films for Doclisboa 2014.


  • GANGSTER BACKSTAGE (Teboho Edkins)

  • Durante uma sessão de casting na África do Sul, Teboho Edkins pede a criminosos verdadeiros para subirem ao palco e interpretarem a sua vida quotidiana.

    During a casting session in South Africa, Teboho Edkins asks real gangsters to get on stage and play their everyday life.


  • TO GET IN (Anna Sarukhanova)

  • Cresceram e estão prontos para entrar num novo mundo. Dias cheios de antecipação do principal acontecimento das suas vidas – o exame de admissão ao Instituto de Arquitectura. O resto da vida continua em paralelo, toda a gente tem os seus problemas, toda a gente tem razões para chorar, para sufocar de mágoa. A linha que têm de atravessar aproxima-se.

    They’ve grown up and are ready to enter into a new world. Days full of anticipation of the main event in their lives – the exam to get in the Architectural Institute. The rest of life goes on in parallel, everyone has their own problems, everyone has reasons to cry, to choke on grief. The line, which they have to cross, looms ahead.


  • SHROVE SUNDAY (Dina Barinova)

  • A família Samodurov vive numa aldeia de Uglyanets, na região russa de Voronezh. Shura e os seus dois irmãos, Alyosha e Petya, são cegos de nascença. Após a morte dos pais e do irmão mais velho, Shura recusou-se a colocar os irmãos com necessidades especiais numa instituição psiquiátrica. Têm vivido os três juntos, ao longo da última década.

    The Samodurov family lives in the village of Uglyanets in Russia’s Voronezh Region. Shura and her two brothers, Alyosha and Petya, are blind from birth. After the death of their parents and elder brother, Shura refused to put her brothers with special needs in a psychiatric facility. The three of them have lived together for the past decade.


  • SUN SONG (Joel Wanek)

  • Uma viagem poética da escuridão da madrugada para a claridade do sol do meio-dia, no sul dos Estados Unidos da América. Rodado ao longo de seis meses, numa rota de autocarro em Durham, Carolina do Norte, Sun Song é uma celebração da luz e uma meditação sobre partir.

    A poetic journey from the darkness of dawn into the brightness of the midday sun in the American South. Filmed over the course of six months on one bus route in Durham, North Carolina, Sun Song is a celebration of light and a meditation on leaving.


  • THE WALKING TREE (Louidgi Beltrame)

  • Louidgi Beltrame filma uma grande figueira-de-bengala como um espaço metafísico onde histórias voltam à superfície: a invenção e desenvolvimento paralelo da fotografia e da telegrafia no contexto da Índia colonizada, o sonho de Lineu de acordo com Foucault, reminiscências dos filmes de Ritwik Ghatak e Satyajit Ray,
 onde realidade e ficção se encontram.

    Louidgi Beltrame films a large banyan tree 
like a metaphysical space where histories resurface: the history of the 
invention and parallel development of photography and telegraphy in the context of colonized India, 
Linnaeus’ dream according to Foucault, and reminiscences of the films of Ritwik Ghatak and Satyajit Ray,
where reality and fiction met.


  • I FORGOT! (Eduardo Williams)

  • Trepa, vamos saltar, os campos estão verdes e as casas cinzentas. Somos todos pequenos. Parece que os poros da minha pele se tornaram gigantes.

    Climb up, let’s jump, the fields are green and the houses grey. We’re all small. It feels like the pores of my skin have become gigantic.


  • INTERNATIONAL TOURISM (Marie Voignier)

  • Como é que uma ditadura se exibe aos turistas que a visitam? Que tipo de narração, actores e encenação invoca? INTERNATIONAL TOURISM foi filmado como o registo de um espectáculo à escala de um país inteiro, a Coreia do Norte. Museus, estúdios de pintores, produtoras de cinema ou uma fábrica de produtos químicos são-nos apresentados por guias norte-coreanos cujas vozes nunca ouvimos.

    How does a dictatorship exhibit itself to the tourists visiting it? What kind of narration, actors, and staging does it summon? INTERNATIONAL TOURISM has been shot as a recording of a show on the scale of a whole country, North Korea. Museums, painters’ studios, cinema production houses, or a chemical factory are presented to us by North Korean guides whose voices we never hear.


  • BEATING HEARTS (Antoine Chaudagne, Sylvain Verdet)

  • No leste da Ucrânia, um grupo de mineiros bebe vodca enquanto fala acerca da morte de um camarada num acidente. Entre eles, está Slava de 30 anos, que sonha escapar da sua aldeia desesperada, para começar uma vida nova com uma jovem mulher que acabou de conhecer na internet.

    In Eastern Ukraine, a group of underground miners drink down vodka while talking about their comrade’s death in an accident. Among them is 30-year-old Slava, who dreams of escaping his desperate village in order to start a new life with a young woman he has just met on the Internet.


  • TWO MUSEUMS (Heinz Emigholz)

  • O filme justapõe/compara dois museus: o Museu de Arte, em Ein Harod, Israel, que Samuel Bickel (1909-1975) aí construiu, em 1948, e a Colecção Menil, em Houston, no Texas, construída por Renzo Piano (nascido em 1937), em 1986. Piano adoptou a iluminação natural utilizada na construção de Bickel a pedido da sua benfeitora, Dominique de Menil.

    The film juxtaposes/compares two museums: The Museum of Art, Ein Harod, Israel, which Samuel Bickel (1909-1975) built there in 1948, and The Menil Collection in Houston, Texas, built by Renzo Piano (b. 1937) 1986. Piano adopted the natural lighting used in Bickel’s construction at the request of its patroness Dominique de Menil.

A programação completa do Doclisboa 2014, que decorrerá de 16 a 26 de Outubro, pode ser consultada no site oficial do Festival.
The full programme of Doclisboa 2014, which will take place from September 16 to 26, can be accessed in the official site of the festival.

0 comentários:

Queer Lisboa 2014 — Shorts 5



As concepções pós-modernas do universo queer estiveram em destaque no quinto e último dia da Competição de Curtas-Metragens do Queer Lisboa 2014. E foi preciso chegar à derradeira sessão para se apontar PRIDE (na imagem em baixo) como o nosso candidato favorito aos prémios.




The postmodern conceptions of the queer scene were highlighted in the fifth and final day of the Short Film Competition of Queer Lisboa 2014. And we had to reach the festival's last session to point PRIDE (pictured above) as our main candidate for the awards ceremony.

  • 1. PRIDE (Pavel G. Vesnakov)


  • De forte carga dramática, alicercada numa paleta de cores frias e saturadas tal como os sentimentos invocados pelo filme, a essência da narrativa reside inteiramente na exposição de um choque geracional, à mesa de jantar, entre a fúria destruidora e alcoólica de um avô e a revolta contida do neto que vê a sua sexualidade devassada por retrógadas asserções. No entanto, a moral conservadora do patriarca da família conhecerá duro revés nos últimos cinco minutos de PRIDE, cujo final em aberto demonstra uma capacidade de despedaçar antecipações como só o formato da curta-metragem sabe executar.

    Powerfully dramatic, based on a cold and saturated color palette as the feelings invoked by the film, the main narrative lies entirely on a generational clash, at a dinner table, between the grandfather's destructive and alcoholic anger and the contained insurrection by grandson whose sexuality is being probed by old-fashioned assertions. However, the patriarch's conservative morality will meet a huge setback in the last five minutes of PRIDE, in a open ending that fully demonstrates the unique capacity of the short film format to smash the audience's forethoughts.


  • 2. NEO JOE POP (Daniel Pinheiro)


  • Um estudo experimental sobre o corpo masculino, com "cameo" de Joe Dallesandro durante a sua participação em FLESH, de Andy Warhol, pelo meio, que mantém as atenções por intermédio do apurado trabalho visual que ostenta.

    An experimental essay on the male body, with a Joe Dallesandro cameo of the actor's presence in Andy Warhol's FLESH in the middle, that holds our attention through its raised visual work.


  • 3. LINDA, UMA HISTÓRIA HORRÍVEL (Bruno Gularte Barreto)


  • O reencontro entre uma mãe e o seu filho (Sandra Dani e Rafael Régoli, impecáveis), e do diálogo que ambos encetam durante grande parte do filme, culmina com um twist final — que pode ou não ser de cariz queer — revelador de genuína segurança dramática por parte do realizador Bruno Gularte Barreto.

    The reunion between a mother and her son (Sandra Dani and Rafael Régoli, both flawless), and from the conversation in which both engage, meets its climax in an ending plot twist — which may or may not be queer in its core — that reveals Bruno Gularte Barreto's assured dramatic control.


  • 4. THIS IS THE WAY (Giacomo Abbruzzese)


  • As novas filosofias familiares e de estilos de vida, muitas vezes influenciadas pela aceitação ocidental das várias formas de orientação sexual, constituem o principal tema do documentário de Giacomo Abbruzzese, personificando-o através da história singular por detrás da concepção de Joy, que se auto-denomina "única no mundo". Título perfeito para longos debates sobre pluriparentalidade.

    The philosophy behind new families and lifestyle choices, often influenced by a Western acceptance to the diversity of sexual orientations, is the main subject of Giacomo Abbruzzese's documentary, personifying it through the story of Joy's peculiar fostering, who proclaims herself as a "one of a kind". A perfect title for a wide range of debates over the subject of pluri-parenting.


  • 5. SIMPLE (Markus Wende)


  • Toda a gente tem o direito à sua opinião — e, segundo a célere e humorística atmosfera de SIMPLE, o sexo não é excepção.

    Everyone is entitled to their opinion — and, according to the speedy and humorous atmosphere of SIMPLE, sex is no exception.

0 comentários:

Queer Lisboa 2014 — Shorts 4



Ao quarto dia da Competição de Curtas-Metragens do Queer Lisboa, as atenções estiveram centradas em acasos de coibição e transgressão de desejos. Dois sentimentos inteiramente sintetizados por KING KONG (na imagem em baixo), mais um favorito pessoal exibido pelo Festival.




On the fourth day of the Short Film Competition of Queer Lisboa, the focus was all on the hazards of desire's restraint and transgression. Two impressions which were fully summarized by KING KONG (pictured above), another personal favorite of this year's selection.

  • 1. VERONA (Marcelo Caetano)


  • A história de um amor perdido, cujas diferenças não serão resolvidas durante um breve reencontro, é encenada sob a égide de uma sensibilidade pop que, serenamente, ilustra o passado irreconciliável dos personagens.

    The story of a lost love, whose differences will not be resolved during a brief reunion, is anchored on a pop sensitivity that, serenely, displays the conflicting past of the characters.


  • 2. NUBES FLOTANTES (Julián Hernández)


  • Poema melancólico de denúncia à homofobia, o seu foco no movimento do corpo masculino dentro de água representa o maior momento estético da sessão desta noite. E a ambiguidade da narrativa de Julián Hernández garante o vislumbre de diferentes sentidos a cada nova visualização do filme.

    A melancholic telltale poem against homophobia, its focus on the movement of the male body in the water was the aesthetic moment of this night's session. And Julián Hernández's narrative ambiguity ensures that there will be different interpretations with each new viewing of the film.


  • 3. KING KONG (Nikolaos Kyritsis)


  • O retrato de "almas desoladas", pormenor significante do cinema grego contemporâneo, encontra em KING KONG pleno terreno para evoluir, através de uma história de profunda frustração — pessoal, profissional, sexual e, claro!, económica — que resvala, depressa e bruscamente, para a agressiva transgressão. Sem dúvida, um dos títulos mais fortes em competição no Queer Lisboa 2014.

    The "desolate soul", a significant feature in contemporary Greek cinema, finds enough room in KING KONG to evolve, through a story of a deeply personal, professional, sexual, and economic frustration that quickly slips into the realms of aggressive transgression. Undoubtedly, one of the best titles in Queer Lisboa's 2014 competition.


  • 4. CARIOCAS (António da Silva)


  • Em total consonância temática com a sua filmografia, António da Silva concebe uma obra — onde as distâncias entre ficção e documentário possuem contornos de misteriosas — em que a franca exposição do desejo e da luxúria revela uma desconstrução (talvez involuntária) do arquétipo do macho latino.

    In line with the overall themes of his filmography, António da Silva conceives a work — where the differences between fiction and documentary are mysteriously hidden — with an openly demonstration of desire and lust, revealing (unintended, perhaps) the deconstruction of the archetypal Latin Macho.

0 comentários:

Queer Lisboa 2014 — Shorts 3



Perspectivas surreais e o documento verídico da consciência de se pertencer a uma minoria sexual foram o mote para a terceira sessão da Competição de Curtas-Metragens do Queer Lisboa. BOA NOITE CINDERELA (na imagem em baixo) confirmou expectativas e é, pessoalmente, um dos melhores títulos em concurso para a edição de 2014 do Festival.



Surreal perspectives and the truthful record of the consciousness of belonging to a sexual minority were the main themes for the third day of the Short Film Competition of Queer Lisboa. BOA NOITE CINDERELA (pictured above) did not disappoint and is one of our favorites for the best title in this year's competition.

  • 1. BOA NOITE CINDERELA (Carlos Conceição)


  • O intemporal conto dos Irmãos Grimm adquire, nas mãos de Carlos Conceição, um original ângulo fetichista, que não só sexualiza as personagens e situações da popular história infantil que adapta, como serve o propósito de satirizar os impulsos materialistas da Humanidade. Uma envolvência atmosférica e surreal (a paisagem natural de Sintra, qual bosque encantado, parece mesmo saída de um conto de fadas), o confronto de adereços anacrónicos e a sua composição sóbria são elementos de charme para uma das melhores curtas em competição no Queer Lisboa 2014.

    The Brothers Grimm's timeless tale gains, in the hands of Carlos Conceição, a whole new fetishist view, that not only sexualizes the characters and situations from the adapted popular children's story, as it serves the purpose of satirizing the materialistic impulses of humanity. Atmospheric and surreal surroundings (the natural landscape of Sintra, a genuine enchanted forest, looks straight out of a fairy tale), the opposition of anachronistic props and its sober composition are charming elements for one of the best short films in competition at Queer Lisboa 2014.


  • 2. BUT YOU ARE A DOG (Malin Erixon)


  • Produto desconexo, quase sem argumento, personagens nem emoções, BUT YOU ARE A DOG exibe somente o protótipo de uma animada iconografia homossexual. E pouco mais há a acrescentar...

    Rambling title, virtually with no argument, characters nor emotions, BUT YOU ARE A DOG displays only the prototype of an animated gay iconography. And there is not much more to add...


  • 3. GAROTAS DA MODA (Tuca Siqueira)


  • Documentário sobre um grupo de drag queens, residentes numa remota localidade do interior pernambucano, revela que os sonhos de estrelato — sobretudo, os baseados na imagem de Beyoncé Knowles — não conhecem geografia nem género. O tom despretensioso e espirituoso não evita, contudo, que o filme trace uma caricatura involuntária do travestismo e da transexualidade.

    Documentary about a group of drag queens, living in a remote location of Pernambuco, reveals that the dreams of stardom — especially those based on Beyoncé Knowles — will never on geography or gender. Its unpretentious and witty tone does not prevent, however, the film's unintended caricature of transvestism and transsexualism.


  • 4. MONDIAL 2010 (Roy Dib)


  • Entre o risco das armas israelitas e a condenação da homossexualidade perante o status quo muçulmano, o registo de uma viagem ao seio da Palestina ocupada é, segundo Roy Dib, motivo para elevar o amor a sinónimo de coragem e descoberta. Curta-metragem austera e pessoal, e premiada no último Festival de Berlim.

    Between the threat of Israeli weapons and the condemnation of homosexuality in face of the Muslim's status quo, the record of a trip to the heart of the Occupied Palestinian Territory is, according to Roy Dib, a reason to raise love as a synonym of courage and personal recognition. A stern and personal short film, which was awarded in the Berlin Film Festival.

1 comentários:

Queer Lisboa 2014 — Shorts 2



A complexidade das emoções humanas, perante a descoberta da sexualidade e/ou o choque de convicções íntimas, marcou o segundo dia da Competição de Curtas-Metragens do Queer Lisboa 2014. O aguerrido I LOVE HOOLIGANS (na imagem em baixo), de Jan-Dirk Bouw, saldou-se como o momento mais inspirado de uma sessão positivamente equilibrada.




The complexity of human emotions, in face of the discovery of sexuality and/or the clash between inner convictions, defined the second day of the Short Films Competition of Queer Lisboa 2014. Jan-Dirk Bouw's sriking I LOVE HOOLIGANS (pictured above) was the higher moment in a positively well-balanced projection.

  • 1. FUCKING TØS (Kira Richards Hansen)


  • Na frágil e gélida aparência de Alex, uma "maria-rapaz" com tendência para a rebeldia precoce mas inconsequente, reside a carga simbólica da adolescência enquanto fase catalisadora da identidade (pessoal, sexual, espiritual...) do ser humano. Nesse sentido, e em treze singelos minutos, encontramos mais profundidade psicológica do que em muita longa-metragem.

    In Alex's fragile and cold semblance, a tomboy with a precocious but harmless insurgency, lies the symbolic awareness of adolescence as the catalystic age for human identity (whether it is personal, sexual or spiritual). Therefore, there is more psychological depth in these brief thirteen minutes than in a lot of feature films.


  • 2. FREI LUÍS DE SOUSA (Colectivo Silly Season)


  • A peça de teatro que qualquer português conhece desde os bancos de escola é aqui — e sem trocadilhos — travestida num exercício de estilo sobre o eterno e redobrado mito do Sebastianismo. Garrett ganha uma inegável nova dinâmica (desde os diálogos velozmente debitados até à insistência na montagem de repetição), mas a satisfação final dependerá sempre da entrega do espectador à sua fruição.

    The theater play that any portuguese knows from their school days is — no pun intended — travestied in this exercise in style about the eternal and redoubled myth of Sebastianism. Garrett's words obtains a whole new dynamics (from its fast paced dialogues to the use of a repetitive editing), but its whole fulfillment will always depend on the audience's commitment.


  • 3. I LOVE HOOLIGANS (Jan-Dirk Bouw)


  • A demonstração da agressividade do adepto de futebol, assim como a frontal exibição de sentimentos recalcados, encontram na brilhante e contundente animação estilizada de Jan-Dirk Bouw terreno fértil para a observação de um homem dividido entre paixões: ou o seu amor por um dos desportos mais heteronormativos da actualidade ou a sua própria homossexualidade.

    The football fan aggressiveness, as well the full display of repressed feelings, are showcased in Jan-Dirk Bouw's bright and striking stylized animation, a rich observation about a man torn apart by his own passions: the love for one of the most heteronormative sports in today's and age or his own homosexuality.


  • 4. CARRETERAS (Denisse Quintero)


  • Com interpretações joviais e momentos de terno humor, o amor lésbico inesperado da protagonista floresce no seio de uma história optimista que não demora em apresentar o seu intuito. Depois da sua apreciação, infelizmente, pouco mais há para experimentar.

    With its youthful interpretations and moments of tender humor, the main character's unexpected lesbian love flourishes within an upbeat story that does not take long to say what it wants. But after its viewed, unfortunately, there is not much more to nurture.


  • 5. CIGANO (David Bonneville)


  • Comédia de acasos repleta de "portuguesidade", David Bonneville não hesita em recorrer ao estereótipo (nomeadamente, as classes sociais representadas pela dupla de protagonistas) para conduzir a história, despretensiosa e humoristicamente, na direcção de um final aberto que, talvez, não seja assim tão previsível.

    A situation comedy filled with "portuguesisms", David Bonneville does not hesitate to use some stereotypes (eg, the social classes represented by the protagonists) to drive his story, unpretentious and humorously, towards an open ending that may not be that predictable.

0 comentários:

Queer Lisboa 2014 — Shorts 1



Sob a égide do cinema experimental, a primeira sessão da Competição de Curtas-Metragens do Queer Lisboa 2014 revelou duas propostas que, na sua radical contemporaneidade, cimentam lugar de favoritismo para o momento do anúncio dos vencedores: o sugestivo trabalho de imagem-movimento de Mark Chapman em TRANS e o submundo S&M invocado por Drew Lint em ROUGH TRADE (na imagem em baixo).



Ruled by the mechanisms of experimental cinema, the first day of the Short Films Competition of Queer Lisboa 2014 offered a couple of titles that, in their radical contemporaneity, already are strong candidates for the awards ceremony: the powerful moving-image work of Mark Chapman in TRANS and the S&M underworld of Drew Lint in ROUGH TRADE (pictured above).

  • 1. TRANS (Mark Chapman)


  • Filme de peculiar plasticidade, a história de Kali Scott (a narrar o seu percurso de vida numa voz off confessional) transcende o conceito de testemunho pessoal sobre definição sexual para se converter num autêntico estudo de identidade humana.

    Within its peculiar plasticity, the story of Kali Scott (narrating his life's journey in a confessional voiceover) transcends the concept of personal sexual definition to become a genuine observation about human identity.


  • 2. ACROBAT (Eduardo Menz)


  • As vicissitudes da comunicação humana moderna, desde o seu cariz sexual até à mais pura banalidade camuflada por formalidades, estão no cerne da exposição de cinco capítulos inteiramente distintos, registados em 16mm e predominantes no uso do plano-sequência. A mensagem do filme, diluída na sua austeridade visual, fica reduzida a uma série de estímulos isolados que pouco contribuem para uma reflexão mais abrangente.

    The transformations of modern human communication, from its sexual nature to pure banality masked by formalities, are at the heart of this exhibition of five wholly distinct chapters, recorded on 16mm and with a predominant use of long-shots. The message of the film, strained by its visual austerity, is reduced to a series of isolated impulses that hardly contributes to a broader reflection.


  • 3. ROUGH TRADE (Drew Lint)


  • Um hipnótico e vibrante trabalho estético, Drew Lint investe na fotografia nocturna e numa composição de sequências iluminadas apenas por strobe lights, concebendo ambiências que nos convidam a trilhar terrenos de obscura androginia e sedutora perigosidade. Não resistimos em apelidá-lo de um SCORPIO RISING para o Século XXI.

    A hipnotic and rousing aesthetic work, Drew Lint's interest for night cinematography and shooting with strobe lights manages to conceive an atmosphere of obscure androgyny and seductive danger. It's like a SCORPIO RISING for the 21st Century, and we are not afraid to make such a comparison.


  • 4. BOYS (José Gonçalves e Dário Pacheco)


  • Suportado numa granulenta estética VHS, BOYS desafia a plateia pelo seu erotismo desarmante aliado a um "cenário narrativo" à prova de qualquer tabu. No seu todo, a ausência de envolvência moral ou psicológica não consegue extrapolar o filme para além do exercício de estilo sobre atracção física.

    Based on a grainy VHS aesthetics, BOYS challenges the audience through its disarming eroticism and "narrative setting" that no taboo can refrain. However, in its whole, the lack of any moral and psychological closeness only turns it into an exercise about physical attractiveness.


  • 5. HEILE GÄNSJE (Matt Lambert)


  • Como se se tratasse de um videoclip (os planos subjectivos e o fast cutting sucedem-se a ritmo alucinante) sobre descoberta sexual em solarentos dias de Verão, Matt Lambert não consegue evitar um incoerente resultado final no âmago do seu tom experimental.

    Like a music video (subjective shots and fast cutting abounds) about sexual discovery in a few sunny summer days, Matt Lambert does not avoid a disconnected outcome at the heart of the film's experimental tone.

0 comentários:

Short of the Day #40



A água pode ser um fascinante motivo cinematográfico.
Poema fílmico sobre os diversos moldes que a água pode adquirir, Ralph Steiner acaba por conceber, em H2O (1929), um profundo estudo acerca da abstracção que a natureza (nas suas formas e texturas, nos seus padrões e movimentos) consegue suscitar. O registo dessas manifestações no celulóide da câmara de filmar foi considerado, em 2005, como detentor de relevância cultural, histórica e estética, sendo um dos filmes na restrita lista de filmes a preservar pelo National Film Registry.

Water can be a fascinating movie subject.
A cinematic poem about water in its many shapes, Ralph Steiner ends up by conceiving, in
H2O (1929), an in-depth study about the confined abstraction (in its forms, textures, patterns and movements) of nature. The record of those manifestations in the camera's celluloid was deemed, in 2005, as culturally, historically, or aesthetically significant, which granted it the right to be in the shortlist of films to be preserved by the National Film Registry.


  • . Ficha Técnica / Credits:
Realização e Fotografia / Directed and Cinematography byRalph Steiner
Música / MusicColin McPhee
Ano1929
PaísEUA / USA

0 comentários: