RETURNING TO AEOLUS STREET (2013, Maria Kourkouta)





Found-footage de angústia e resistência.

Documentário poético e melancólico, cuja estética found-footage bebe inspiração a "ilustres desconhecidos" do Cinema Helénico (e, pelos excertos recolhidos, nomes como Michalis Cacoyannis ou Nikos Koundouros assumem-se de descoberta obrigatória), RETURNING TO AEOLUS STREET (a.k.a. EPISTROFI STIN ODO AIOLOU) tanto evoca o dinamismo intrínseco do material cinematográfico como almeja novos significados perante a História mais recente da Grécia.
Entre sobreposições, loopings e câmaras lentas, a recontextualização de um rosto masculino derrotado, a angustiada corrida daquela jovem mulher ou o pânico de um merceeiro em arriscada perseguição de um prevaricador pelas ruas de Atenas, estas poderiam muito bem ser imagens de uma memória colectiva nacional específica, sempre presente na actualidade contemporânea e reveladora — mesmo através do Cinema — de peculiar estoicismo.
Do melhor que se viu na presente edição do Doclisboa — e exibido em glorioso 16mm.




  • . Ficha Técnica / Credits:
Realização e ProduçãoMaria Kourkouta
MúsicaManos Hadjidakis
Ano2013
PaísFrança | Grécia

0 comentários:

Short of the Day #86



Alguma vez se viu um Oshima tão colorido?

Não são necessárias legendas para compreender a paródia, em TOMORROW'S SUN (a.k.a. ASU NO TAIYÔ), que Nagisa Ôshima (no seu filme de estreia) endereça aos clichés do cinema japonês mainstream dos anos 50.
Yakuzas e geishas, romance juvenil à beira-mar e musicais decalcados dos grandes espectáculos de Hollywood desfilam em concisos trailers para filmes que nunca existiram, num misto de cor e movimento que nunca se tornaria em marca autoral na obra de Ôshima.
P.S.: aceitam-se apostas para o significado daquele guarda-chuva vermelho, teimoso em figurar nos momentos e espaços mais inesperados.



  • . Ficha Técnica:
Realização e ArgumentoNagisa Ôshima
ProduçãoShigeru Wakita
FotografiaTakashi Kawamata
MúsicaMasayoshi Ikeda
Ano1959
PaísJapão

0 comentários:

NO HOME MOVIE (2015, Chantal Akerman)





Em nome da Mãe.

É inevitável que o observador possa colher um filme elegíaco e sentimentalmente opressivo de NO HOME MOVIE, obra que aparenta adquirir toda uma outra carga emocional na "ressaca" do recente falecimento de Chantal Akerman. Mas aqui nunca se apreende o tom, conscientemente anunciado ou não, de derradeiro capítulo de uma carreira artística.
Na verdade, através do diário (e não "filme doméstico", como o título afirma) da frágil saúde de Natalia Akerman, mãe de Chantal, a cineasta sugere o amor à vida, às suas origens, à filiação materna (os diálogos entre as duas são pérolas de simplicidade humana), a tudo aquilo — inclusivamente, as emoções que espelhamos perante estas imagens — que torna o mundo simultaneamente pequeno e grande. E, como característico em Chantal Akerman, revela-se um absoluto testemunho formal sobre a inexorável natureza do tempo.




  • . Ficha Técnica / Credits:
Realização, Argumento e FotografiaChantal Akerman
ProduçãoChantal Akerman, Patrick Quinet, Serge Zeitoun
Ano2015
PaísBélgica / França

0 comentários:

LISTEN TO ME MARLON (2015, Stevan Riley)






"REPRESENTAR — É — VIVER".
Os pensamentos íntimos e desabafos de Marlon Brando, registados em centenas de horas de gravações áudio acumuladas ao longo de décadas, formam a essência documental de LISTEN TO ME MARLON: o portal de uma mente inquieta, fragmentada e em constante alerta para o que o mundo lhe providenciou e ocultou. Da mesma forma, o filme revela-se um puzzle de sensações, com ritmo de montagem a providenciar adequado sentido biográfico, alimentado pelas opiniões sobre uma arte (leia-se, a Sétima) de inconstante atracção mútua, onde o actor refugiou o homem, e por uma vida pessoal que, sumariamente, deveu mais a Terry Malloy do que a Stanley Kowalski.



  • . Ficha Técnica / Credits:
Realização, Argumento e MontagemStevan Riley
ProduçãoJohn Battsek, George Chignell, R.J. Cutler
FotografiaOle Bratt Birkeland
Ano2015
PaísReino Unido

0 comentários:

Short of the Day #85



In Memoriam: Chantal Akerman (1950 - 2015)



0 comentários:

The Short Guide to Doclisboa 2015 — Part III



Curtas-Metragens da Retrospectiva "I don’t throw bombs, I make films" do Doclisboa 2015.

Short Films in the "I don’t throw bombs, I make films" Retrospective of Doclisboa 2015.


  • 3000 HOUSES (Hartmut Bitomsky & Holger Meins)

  • "Seis jovens percorrem uma cidade, para estabelecer o ponto de partida da sua acção conjunta. Mas não conseguem acordar no tema. Acabam por seguir cada um o seu caminho e sair da cidade." É também um filme de género: "Planeiam roubar o caixa da universidade, mas apenas estão sempre a falar nisso e acabam por não serem capazes de o fazer."

    "Six young people move through a city in order to establish the starting point of their joint action. But they can’t agree on the topic. In the end everybody goes their own way and leaves the city." This is also a genre movie: "They plan to rob the cashier of the university, but they just talk about it all the time, and finally they can’t live up to the act."


  • AFSAN'S LONG DAY (THE YOUNG MAN WAS..., PART 2) (Naeem Mohaiemen)

  • A experiência de Afsan, um jovem intelectual, durante os tumultuosos anos que o Bangladesh conheceu depois de 1971, em contraste com o denominado Outono Alemão (um grupo associado ao Grupo Baader-Meinhof). Um ensaio sobre a circulação internacional de ideologias, reflectindo sobre a dissolução de movimentos de extrema-esquerda que, mais tarde, se tornaram em activimos em diferentes países.

    The experience of Afsan, a young intelectual, in the tumultuous years following 1971 in Bangladesh, in contrast to the so-called German Autumn (associated with the Baader-Meinhof Group). An essay on the transnational circulation of ideologies, reflecting on the dissolution of the extreme left movements which then constituted specific activisms in different countries.


  • ELEPHANT (Alan Clarke)

  • Seguidos por uma steady-cam que nos coloca na posição tanto de voyeurs, como de cúmplices, corpos humanos atravessam espaços urbanos e 18 assassinatos são perpretados. Sem justificação, discurso ou contexto. Apenas Belfast.

    Followed by a steady-cam that places us both as voyeurs and accomplices, human bodies cross urban spaces and 18 murders are perpetrated. With no justification, explanation or context. Just Belfast.


  • FARBTEST — DIE ROTE FAHNE (Gerd Conradt)

  • Uma bandeira vermelha percorre as ruas de Berlim, numa corrida de estafetas, até à câmara municipal. Os quinze participantes içam a bandeira, na varanda do edifício, para espanto de todos. O Berliner Morgenpost comentou a vitória da "visão vermelha" [Rote Sicht] na Academia.

    A red flag goes through the streets of Berlin, in a relay race, to the town hall. The fifteen participants raise the flag on the balcony of the building to everyone’s amazement. The Berliner Morgenpost commented on the victory of the “red vision” [Rote Sicht] at the Academy.


  • JOHNSON & CO. AND THE CAMPAIGN AGAINST POVERTY (Hartmut Bitomsky)

  • Como comparar Berlim Ocidental e o Vietname? Partilhamos alguma coisa? Temos de nos apropriar das ferramentas de conhecimento e juntarmo-nos aos explorados. Temos de pegar em armas e lutar. "Não inventámos a violência, a violência é que nos inventou."

    How to compare West Berlin and Vietnam? Do we share anything? We have to appropriate the tools of knowledge and join the exploited people. We have to pick up guns and fight. "We didn’t invent violence, violence invented us."


  • MATERIALE N. 2 — IPOTESI SULLA MORTE DI G. PINELLI (Elio Petri)

  • Pinelli, membro da Cruz Negra Anarquista, foi detido e acusado do atentado na Piazza Fontana, em 1969. Morreu de uma queda da janela da sala de interrogatório. As autoridades indicaram como causa provável suicídio ou morte acidental. O filme encena as hipóteses oficiais e a de se ter tratado de um assassinato.

    Pinelli, a member of the Anarchist Black Cross, was arrested and charged with the Piazza Fontana attack in 1969. He died falling off the window of the interrogation room. The authorities stated suicide or accidental death as probable cause. The film enacts the official assumptions, and the hypothesis of murder.

A programação completa do Doclisboa 2015, que de 22 de Outubro a 01 de Novembro homenageará Želimir Žilnik, pode ser consultada no site oficial do Festival.
The full programme of Doclisboa 2014, which from October 22 to November 1st will present a Želimir Žilnik retrospective, can be accessed in the official site of the festival.

0 comentários:

The Short Guide to Doclisboa 2015 — Part II



Curtas-Metragens da Competição Portuguesa do Doclisboa 2015.

Short Films from the Portuguese Competition of Doclisboa 2015.


  • ACORDA, LEVIATÃ / WAKE UP, LEVIATHAN (Carlos Conceição)

  • T. S. Eliot termina um dos seus poemas mais famosos, The Hollow Men, a repetir três vezes a frase "É assim que acaba o mundo", acrescentando, de seguida, "Não com um estrondo, mas com um gemido". Do espaço, a recuperar de um coração partido, um terráqueo resolve voltar à Terra, quando percebe que toda a água desapareceu.

    T.S. Eliot ends one of his most famous poems, The Hollow Men, repeating, "This is the way the world ends" three times. He then adds, "Not with a bang, but with a whimper". From outer space, recovering from a broken heart, an earthling decides to come back to Earth when he realises all water is gone.


  • OÙ EST LA JUNGLE? / WHERE IS THE JUNGLE? (Iván Castiñeiras Gallego)

  • Deolindo e Stevenson tentam encontrar o seu lugar no meio da selva. Ao longo do seu percurso, vão testemunhar a transformação de um território onde, a cada momento, o presente e o passado se confundem, numa luta estimulante entre modernidade e tradição. Quais são os segredos da selva? Onde estão os seus limites?

    Deolindo and Stevenson try to find their place in the middle of the jungle. Along their path we will witness the transformation of a territory where in every moment the present and the past become confused, in a thought-provoking struggle between modernity and tradition. What are the secrets of the jungle? Where are its limits?


  • RAIMUNDO (Paulo Abreu)

  • Uma pequena equipa de estudantes de cinema vai aos Açores, durante uma semana, acompanhar o trabalho de Raimundo Bicudo, um polémico realizador de São Miguel.

    A small crew of film students travel to the Azores for a week in order to make a documentary about Raimundo Bicudo, a controversial film director from the Island of São Miguel.


  • VILA DO CONDE ESPRAIADA / VILA DO CONDE EXTENDED (Miguel Clara Vasconcelos)

  • Um rapaz de Vila do Conde grava uma carta de amor numa cassete. A música dele mistura-se com música, imagens de arquivo e histórias do passado, algumas vividas e outras ouvidas.

    A boy from Vila do Conde records a love letter on a cassette. His voice blends with music, archive images and stories from the past, some lived and others heard.

A programação completa do Doclisboa 2015, que de 22 de Outubro a 01 de Novembro homenageará Želimir Žilnik, pode ser consultada no site oficial do Festival.
The full programme of Doclisboa 2014, which from October 22 to November 1st will present a Želimir Žilnik retrospective, can be accessed in the official site of the festival.

0 comentários: