The Short Guide to IndieLisboa 2016 — Part I



Destaques da Competição Internacional de Curtas-Metragens.

  • «[...] CRAVING FOR NARRATIVE (Max Grau)

  • Num cenário visual semelhante ao desktop de um computador, analisa-se uma das sequências mais famosas de BRILHANTINA. Um ponto de partida para a reflexão sobre obsessão, nostalgia, ritmo, repetição e teorias dos media elevados pelo desenvolvimento da Internet.


  • A COAT MADE DARK (Jack O'Shea)

  • Dois assaltantes alcançam fortuna depois de roubarem um casaco misterioso. Assim começa este conto de humor negro, onde Midnight, um cão antropomorfizado, e o seu servo humano Peter lutam pelo poder, e à custa do mesmo casaco.


  • ANOTHER CITY (Lan Pham Ngoc)

  • Uma mulher de meia-idade, encharcada, tira a sua peruca espreitando por uma janela de vidro. Um jovem desfaz-se em lágrimas numa sala de karaoke revestida por um papel de parede com uma paisagem tropical. Uma jovem mulher tenta limpar uma mancha do vestido de noiva que enverga. Cada dificuldade é pautada por um refrão asiático familiar...


  • DEER FLOWER (Kangmin Kim)

  • Dujung, um estudante da primária, viaja com os seus pais para uma quinta nos subúrbios. Embora os pais acreditem que a especialidade da quinta, dispendiosa e rara, consiga fortalecer o corpo do seu filho, Dujung sofre uma série de efeitos secundários.


  • LA FIN D'HOMÈRE (Zahra Vargas)

  • Durante uma caçada, Homère mata acidentalmente um abutre-barbudo, espécie protegida e em vias de extinção. Como consequência da imensa indignação pública, o caçador perseguido perde a vida. Linchamento colectivo ou lenda urbana? Uma fábula que alimenta os muitos rumores que grassam por este reino.


  • LE GOUFFRE (Vincent Le Port)

  • Céleste trabalhou no campo com o seu tio durante todo o Verão. Na véspera de abandonar a região, é informada que desapareceu uma criança.


  • GULLIVER (María Alché)

  • Depois de uma festa, Agos e Ren viajam pelo tempo até a uma estranha dimensão, onde se recordam de ali terem estado antes.


  • TEN METER TOWER (Maximilien Van Aertryck & Axel Danielson)

  • Piscina. Interior. Dia. Prancha de 10 metros. A câmara está focada na plataforma. O som configurado para captar a plateia enquanto tudo acontece lá em cima. Várias pessoas, a sós ou com um amigo ou companheiro, sobem a prancha, atrevem-se a caminhar até à beira, olham para baixo e hesitam. O que faz as pessoas saltar? O que significa aquela altura? O que exige mais coragem: mergulhar ou voltar para trás?


  • LA IMPRESIÓN DE UNA GUERRA (Camilo Restrepo)

  • Durante mais de 70 anos, a Colômbia foi palco de um conflito interno armado cujos contornos parecem ter-se desvanecido com o tempo. Progressivamente, instalou-se um clima de violência generalizada em toda a sociedade. A violência e a barbárie impregnaram todos os aspectos da vida quotidiana, deixando as suas marcas por toda a parte. Talvez a história desta guerra difusa se conte pela própria multitude das suas marcas.


  • ISABELLA (Duncan Cowles & Ross Hogg)

  • De quanta vida precisas para te manteres fiel a ti próprio?


  • ISABELLA MORRA (Isabel Pagliai)

  • Qual é o elo de ligação entre as ferozes fábulas de Adriana, uma menina moderna, e a poesia de Isabella, acusada de traição, no Século XVI, pelos seus próprios irmãos? Aqui, Adriana conta uma história, Camille resmunga e Océane tenta convencer uma boneca a assumir o seu interminável discurso.


  • THE LASTING PERSIMMON (Kei Chikaura)

  • Risaki regressa à sua invernal terra natal, Yamagata, que fica a mais de 400km de Tóquio. E tudo indica que o quotidiano da sua família e daquela aldeia manteve-se inalterado: a limpeza da neve, a produção de pickles, as pontes cobertas de neve sobre o rio extenso e os frutos do caqui que ficam sempre por colher nas árvores.


  • LOVE (Réka Bucsi)

  • Uma curta-metragem que descreve, em três capítulos diferentes, os efeitos de um impacto num sistema solar distante, afligido por mudanças de luz e gravidade.


  • LES MONTS S'EMBRASENT (Laura Morales)

  • Dois irmãos recordam o seu passado enquanto mineiros, numa obra que procura explorar a essência de um elemento químico que ainda contém mistérios ocultos. Entre 1986 e 1989, o município de Bondons sofreu diversas alterações na sua paisagem natural devido à extracção de toneladas de xisto de urânio.


  • NON-CONTRACTUEL (Paul Heintz)

  • Documentário de uma ficção dissimulada pela realidade: a indústria do entretenimento pedagógico. Através de acções de formação para pessoas desempregadas, onde se simula o emprego de escritório, observa-se as dificuldades dos "estagiários" nesta empresa particular em se conformarem com a normalidade, em especial a do mercado laboral.


  • NUEVA VIDA (Kiro Russo)

  • Os mistérios, ansiedades e sonhos de uma vida nova.


  • OUSTAZ (Bentley Brown)

  • Um realizador recorda um vídeo caseiro, feito no Chade em 2000, para reflectir sobre a morte do seu professor árabe e os tempos em que produziam filmes juntos.


  • RATE ME (Fyzal Boulifa)

  • O aparente sumário de uma série de registos online de uma call girl adolescente, cedo se transforma num comentário, provocador e formalmente audacioso, sobre a fluidez de identidades e as percepções juvenis na era da Internet.


  • THE REFLECTION OF POWER (Mihai Grécu)

  • Na capital mais secreta do mundo, uma multidão assiste a um espectáculo enquanto o desastre ameaça a cidade inteira...


  • THUNDER ROAD (Jim Cummings)

  • Jimmy Arnaud presta o último elogio à sua mãe.


  • TOUT LE MONDE AIME LE BORD DE LA MER (Keina Espiñeira)

  • Junto à orla costeira, e enquanto aguardam por uma passagem para a Europa, um grupo de homens entretém-se a interpretar um filme ficcional.


  • UNDER THE SUN (Qiu Yang)

  • Depois de um incidente, duas famílias entram em desordem. Nada de novo debaixo do sol.


  • UZU (Gaspard Kuentz)

  • O Festival de Outono de Dogo, uma das celebrações religiosas mais violentas do Japão, realiza-se todos os anos na cidade de Matsuyama. Alternando entre pontos de vista externos e distantes e a perspectiva de uma câmara subjectiva, entrelaçando silêncios com o tumulto de um transe colectivo, UZU mistura etnografia visual com reportagem de guerra para registar uma coreografia sensorial imbuída de violência.

O alinhamento completo da Competição Internacional de Curtas-Metragens do IndieLisboa 2016, que decorrerá de 20 de Abril até 1 de Maio, pode ser consultado no site oficial do Festival.

0 comentários: